Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 31 de maio de 2013

Os Anjos Conversam ?



Os Anjos Conversam ?

Muitas criaturas gastam tempo e mais tempo meditando, e por vezes consultando obras sobre o assunto, para saber o labor dos anjos, no reino de Deus… 

Há pouco tempo, observamos uma criatura em monólogo:-
- “Os anjos pensam? 

- Os anjos conversam? 

- Qual seria, se assim fosse, a voz dos anjos?” 

Meu irmão, tu mesmo podes dar a resposta, dependendo de um pouco de raciocínio.

É o mesmo que perguntar:-
- “Os animais pensam? 

Eles falam? 

Claro que sim, posto que cada um está na sua própria dimensão de vida. 

Assim, os que estão acima dos homens também pensam e falam. 

A diferença é que esses dons são aperfeiçoados na evolução que atingiram. 

Os anjos não foram feitos anjos, como os animais não foram feitos assim, por toda a vida, nem os homens sempre homens… 

Desconheces o progresso? 

Tudo canta na vida “glória a Deus nas alturas”, desde os microssons eletrostáticos dos átomos, até a imensa sinfonia dos mundos. 

Os anjos, sim, conversam, e é este o assunto que vamos falar para que possas sentir a grandeza da palavra e a força dos pensamentos, quando estão educados na academia do amor.

O esforço de cada um para falar bem é sumamente compensado pelo que adquire para si mesmo; essa é uma verdade de que os Espíritos superiores têm consciência. 

Trabalham operosamente na fraternidade comum, sem apego, sem vaidade, sem egoísmo. 

Fazem tudo por amor, aquele afeto que não se compra, que não se troca, que não se vende, porque já se libertaram das mesquinharias inferiores. 

Conheceram a verdade e ela os fez livres. 

Nunca pensam nem formulam ideias negativas. 

Já adquiriram, pela conduta, pela sabedoria e pelo tempo, o condão de luz, de sorte a ter a primazia por direito, de serem senhores da natureza e tudo nela serem seus servos, cumprindo assim as suas potentes vontades que se assemelham sempre à vontade de Deus. 

O fluido universal, eles o reúnem em torno de si, como abelhas no apiário. 

Avolumam-no na direção que as suas mentes determinarem, modificando a sua composição divina, de acordo com as necessidades do caso. 

Conversam entre si sobre as necessidades dos homens, dos animais, das árvores e da própria natureza. 

Derramam correntes mentais, ao som de hinos harmônicos, sobre as fontes dos rios, nas correntes de ar, nos mares e ainda inspiram a humanidade em todos os atrativos do bem.

A palavra mental dos anjos se materializa nos pensamentos e formação das idéias dos homens, na política, na religião, na filosofia, em todos os tipos e variadas comunicações dos seres terrestres, até nos sonhos, bem comuns entre todos, e através de visões. 

O sol é vigiado por eles, que se servem de reatores para filtrarem da força de Deus em favor de todos os seres, em favor da criação do Senhor. 

E, em muitos casos, alguns anjos de Deus são convidados, ou se oferecem como voluntários, para reencarnarem em missão especial, servindo de antenas vivas do Cristo, na Terra, para a paz dos homens. 

Estes anjos são reconhecidos da forma anotada por Lucas, no capítulo seis, versículo quarenta e cinco, nesta disposição da verdade:-
- “O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque a boca fala do que está cheio o coração”.

Quando encontrares uma boca que somente fala o bem, que canta a música permanente da verdade e do amor, da alegria e da paz, da justiça e da humildade, tendo como maestro Jesus, essa é de um dos anjos em santificante tarefa nas vias do mundo. 

Ele está, como tu, vestido de carne, porém, as diferenças são marcantes nos pensamentos e ideias que saem dos seus lábios.


Livro:- Horizontes da Fala
Cap. 74
 Espírito Miramez 
Psicografia de João Nunes Maia.

Ritmo da Vida





Ritmo da Vida

A vida tem a excelsitude do ritmo. 

É interessante notar que o amor é ritmo, como também a alegria, a paz, o perdão, assim todas as virtudes ensinadas pelo Evangelho. 

Sabem quando saímos da cadência? 

Quando nos envolvemos na vingança, no ódio, na maledicência e na tristeza, pois é tudo quanto nos fez esquecer de Jesus. 

Entramos em desarmonia psíquica, porque entramos em desajuste cósmico. 

Trabalhar com a mente é grandioso, operar com os braços é necessário e laborar com a boca é indispensável no dia-a-dia dos homens; no entanto, faz-se imprescindível que os pensamentos sejam retos, os braços livres no bem e a boca ajustada ao coração que bate no ritmo do amor.

Se estás terminando este livro, podes compulsar novamente tal compêndio, objetivando um aprendizado maior, buscando aqui e ali toques necessários à iniciação no comando da fala. 

A tua boca deve ser indulgente:-
- Mesmo se os teus pensamentos trouxerem ideias aos teus lábios que fustiguem a moral, buscando sons para que se materialize a vontade inferior, não fales!… 

E se os teus companheiros subestimarem as tuas atitudes nobres, não cedas!… 

E se alguém, acostumado com as tuas conversações negativas provocar-te com assuntos maldizentes, por achar saborosas as palavras do mal, nada digas… 

Espera um pouco, com fé, que a mente divina, agindo em toda parte, haverá de te encontrar pensando no bem, e usará a tua boca para falar o que deve ser dito. 

A boca que aqui referimos é a trindade formada no esquema da vida: mente – pensamento – palavra.

Falar é exercício muito agradável e saber falar é sentir a presença da felicidade através de nós mesmos. 

Quem conversa no ritmo da satisfação espiritual, acumula em si alegria cristã, de maneira que esta não falte nas horas dos problemas. 

Quem está sempre alegre por dentro é aquele que vence todos os desajustes e deixa uma mensagem de esperança nas pessoas que encontra. 

Como é bom ser alegre! 

A boca que fala sempre na esperança é que nunca desanima, é força poderosa na ajuda aos outros. 

Vale mais, mas muito mais que remédios e outros meios de auxílio. 

Não vamos chegar ao ponto de suprimir as coisas do mundo, necessárias ao progresso das criaturas. 

Todavia, aqui colocamos a palavra educada como a maior das necessidades do homem, pois é falando que tudo se faz.

Meu companheiro, já percebeste a harmonia da voz meiga de uma criança? 

Estudando a criança, aprenderemos muitas coisas que se encontram em mistério para os adultos, pelo ritmo da vida que elas levam. 

Não estamos aqui querendo transformar-te em um santo ou místico de um dia para outro, porque essa posição também almejamos, há milênios de lutas e ela existe apenas em homens de boa vontade, cuja disposição para o bem já dominou os instintos e comanda a inteligência.

Aprendermos a conversar corretamente, nas linhas da afabilidade, no clima da ternura e na luz do amor, sem desanimarmos com os obstáculos, traz-nos um progresso sucessivo, de maneira a adiantarmo-nos sem perceber, na escala evolutiva. 

Mas, para isso, se faz indispensável observarmos o ritmo da vida.

A língua poderá trazer-te muita paz, ou aborrecimentos incontáveis, dependendo do modo que for acionada. 

Vejamos a confirmação do que falamos, no provérbio vinte e um, versículo vinte e três:-
- “O que guarda a sua boca e a sua língua, guarda a sua alma das angústias”.


Livro:- Horizontes da Fala
Cap. 77
Espírito Miramez 
Psicografia de João Nunes Maia


quinta-feira, 30 de maio de 2013

Pés e Paz



Pés e Paz


Expressiva a decisão de Jesus, lavando os pés dos discípulos.

Recordemos que o Senhor não opera a ablução da cabeça que pensa, vê e ouve, traduzindo o sentimento com os dons divinos da reflexão e com as faculdades superiores da palavra, nem lhes alimpa as mãos que trazem consigo a excelência dos recursos tácteis para a glorificação do trabalho e a muda linguagem dos gestos, que exprimem afetividade e consolação.

Lava-lhes simplesmente os pés, base de sustentação do corpo e implementos da criatura física que entram em contato com a lama e pó da Terra, padecendo espinheiros e charcos. 
 
E purifica-lhes semelhantes apêndices, necessários à vida humana, sem reproche e sem queixa.

Lembremo-nos, pois, do ensinamento sublime e lavemos os pés uns dos outros, com a bênção da humildade, no silêncio do amor puro que tudo compreende, tudo suporta, tudo santifica e tudo crê, porquanto apenas tolerando e entendendo a poeira e o lodo que ainda apontem dos caminhos alheios é que redimiremos os nossos, atingindo a verdadeira paz.

Emmanuel
Francisco Cândido Xavier
Livro:- "Encontro de Paz" 
 Edição IDE
 

Tesouro



Tesouro


Hoje é um grande dia!

Pois você ganhou na loteria e se tornou uma das pessoas mais ricas!

É isso mesmo, na loteria.

A loteria do maior de todos os bens que o ser humano possa ter.

O de conhecer os ensinamentos de Jesus e da doutrina espírita, que nos ensina a amar, sem distinção, sem preconceito, com humildade, assim como amamos ao nosso criador:-
- Deus.

Que maior tesouro poderia ter, se não a felicidade?

Do conhecimento e esclarecimento de todas ou quase todas as coisas que acontecem conosco, saber que nada é por acaso, e que, em tudo há uma lição?

Se conhecer a felicidade e o amor, saberá que os bens materiais são complementos e que tudo poderá vir a contento.

Terá forças para trabalhar e perceberá que ser feliz é muito mais do que você acha hoje.

Seja feliz com essa riqueza e lembre-se de dividi-la com todos ao seu redor.

De um amigo aos amigos da Fraternidade

Mensagem recebida pelo Grupo de Estudos
da Psicografia da Fraternidade Francisco de Assis
 

quarta-feira, 29 de maio de 2013

Mesmo Assim



Mesmo Assim

Diante dos nobres ensinos com que a Nova Revelação te enriquece, Jesus continua como roteiro, e a mensagem do Evangelho, narrando a jornada dEle, é o programa de sempre.

Por isso, ainda agora não há outra alternativa, nas várias circunstâncias da vida, que não a inspirada na Sua vida.

“Perdoar a todos...

Seguir, intimorato, a diretriz superior...

Transformar espinhos em flores...

Converter vinagre em linfa refrescante...

Orar e vigiar...

Amar a todos...

Servir sem indagações...

Amparar os que te perseguem...

Desculpar sempre e prosseguir sem mágoas...

Ceder a indumentária, mesmos que ela seja tudo...

Permutar pedras de aflição por moedas de luz...

Acender a luz do discernimento...

Caminhar fiel ao programa que o próprio Mestre exemplificou “— eis a diretriz que não podes desconsiderar.

Em qualquer construção, as tarefas humildes não deixam de ser valiosas.

Igualmente no Cristianismo és operário valioso, embora as próprias limitações.

O Mestre não considerou as suspeitas de Simão, ensinando-lhe, porém, com simplicidade, a inesquecível lição do amor, ante a pecadora que lhe lavava os pés com as lágrimas do sentimento renovado.

Compreendendo as justas fadigas de Marta, Ele louvou o interesse de Maria, sedenta de equilíbrio interior.

Aprende, assim, a executar o programa divino, sejam quais forem as circunstâncias.

A noite, embora apavore, também convida à meditação.

O silêncio, embora assuste, ajuda os que raciocinam.

A dor, malgrado incomode, convida à reflexão.

Valoriza, portanto, as situações de tempo, lugar e oportunidade e faze o melhor ao teu alcance.

Mais vale chegar ao termo da jornada evangélica de coração ralado, pés feridos e mãos calejadas, a sós, mas tranquilo, do que ser surpreendido pela desencarnação bem acondicionado no prazer e carcado de amigos que, no entanto, nada poderão fazer por ti, em relação à consciência em despertamento no pórtico da Imortalidade.

“Messe de Amor”
e Divaldo Franco
 Espírito Joanna de Ângelis

Cura Verdadeira



Cura Verdadeira

Todas as criaturas humanas adoecem. 
 
Raras são aquelas que trabalham para a cura real. 
 
A ação medicamentosa, por si só, não restaura integralmente a saúde.
 
O comprimido ajuda. 
 
A injeção melhora. 
 
Entretanto, não podemos esquecer que os verdadeiros males procedem do coração.
 
A mente é uma fonte criadora e a vida plasma, em nós mesmos, aquilo que desejamos.
 
Assim, a medicação não nos valerá muito se prosseguirmos tristes e acabrunhados, porque a tristeza é geratriz e mantenedora de muitos males.
 
Como poderemos pretender ter a saúde restaurada, se nos permitimos a cólera ou o desânimo por muitas horas?
 
O desalento é anestésico que entorpece e acaba por destruir quem o cultiva.
 
A ociosidade que corrompe as horas e a inutilidade que desperdiça o tempo valioso extingue as forças físicas e as do Espírito.
 
Mesmo porque, a mente ociosa acaba por se dedicar a muitas coisas ruins, como a maledicência e a crítica destrutiva.
 
Se não sabemos calar, nem desculpar; se não ajudamos, nem compreendemos, como encontrar harmonia íntima?
 
Por mais que o socorro espiritual venha em nosso favor, devoramos as próprias energias com atitudes negativas.
 
E, com respeito ao socorro médico, mal surgem as primeiras melhoras, abandonamos o remédio, a dieta, os cuidados, demonstrando a nossa indisciplina.
 
Por isso, se estamos doentes, antes de qualquer medicação, aprendamos a orar e a entender, a auxiliar e a preparar o coração para a grande mudança.
 
Fujamos da indelicadeza e do azedume constante que nos conduzirão à brutalidade no trato com os demais.
 
Enriqueçamos nossos fatores de simpatia pessoal, pela prática do amor fraterno.
 
Busquemos intimidade com a sabedoria, pelo estudo e a meditação.
 
Não manchemos nosso caminho. 
 
Sirvamos sempre. Trabalhemos na extensão do bem a todos.
 
Guardemos lealdade ao Mestre Jesus a quem dizemos seguir e permaneçamos com a certeza de que, cultivando a prece, vibrando positivamente pela vida, abraçando a oração diária, desde logo, a medicação de que nos servirmos atuará rápida e beneficamente em nosso corpo.
 
Que queres que eu te faça? 
 
Perguntou Jesus ao cego de Jericó, que O buscava.
 
Que me devolvas a visão, respondeu Ele.
 
Acreditas firmemente que eu possa te curar? 
 
Retornou o Mestre a indagar.
 
E como a resposta fosse afirmativa, o cego passou a enxergar.
 
No fato em destaque, observamos que a vontade do paciente e a fé no profeta de Nazaré, foram as molas da cura.
 
Portanto, a cura real somente nos alcançará se melhorarmos as nossas disposições íntimas e atendermos aos preceitos médicos com disciplina e seriedade.
 

Redação do Momento Espírita, 
com base no Cap. 86 do Livro Fonte viva, 
pelo Espírito Emmanuel, 
psicografia de Francisco
Cândido Xavier, ed. Feb.
 

terça-feira, 28 de maio de 2013

Filhos da Luz



Filhos da Luz

Estais encarnados na Terra em momento crucial da evolução humana.
Nunca, qual ocorre hoje, o choque entre as conquistas e as realizações do intelecto fez-se tão vigoroso.

A horizontal nas realizações científicas promoveu a cultura e a civilização, mas a vertical do amor não arrancou o ser do báratro no qual se debate em agonia.

Volvestes ao proscênio das lutas humanas incendiados pela fé, que momentaneamente bruxuleia em razão da densa treva que tudo envolve e quase tudo invade.

Tendes a honra de conhecer, pela experiência e pela razão, a mensagem libertadora do amor conforme a viveram Jesus e os seus apóstolos. 

Não obstante, permaneceis irresolutos ante as atitudes a tomar, os caminhos a percorrer, as definições a assumir.
Não postergueis em demasia o momento da vossa plenitude, ensejando aos irmãos da retaguarda o pão de luz do Evangelho restaurado.

Vivei de tal forma, lúcidos e equilibrados, que a vossa existência se transforme em modelo para os que ainda não encontraram parâmetros a seguir, já que estamos distantes do Cristo, o Modelo de todos nós.

Não relacioneis queixas, nem reclamações, anotando pequenezes e guardando ressaibos tão naturais na luta do cotidiano.

Quem se detém a recolher calhaus, permanece de mãos feridas, e quem vive a buscar espículos encontra-os antes de defrontar as rosas...

Filhos da Luz:-
- Convido-vos a mudardes as paisagens tristes do planeta de tantas belezas, para que a verdadeira moral do Cristo predomine nos corações.
Conheceis Jesus, sabeis da Sua instrução, anotastes as Suas recomendações. 

Agora, falta a decisão para seguirdes acompanhados e inspirados por nós, vossos amigos desde há muito.
Sigamos juntos, na certeza de que alcançaremos a montanha da sublimação, longe da dor e das aflições, livres dos tormentos e das amarguras típicas da indecisão...

A Luz Eterna brilha.

Sois filhos da Luz!

Segui adiante, sem tergiversações, sem dubiedades, como fez o incomparável Mestre.

Joanna de Ângelis

Mensagem recebida por psicofonia, pelo médium Divaldo Pereira Franco, após uma conferência em Olhão, Portugal, no Centro Espírita Luz Eterna, dia 25 de maio de 1994.

 
Livro “Sob a proteção de Deus”
 Divaldo Pereira Franco 
 Diversos Espíritos

Padre Corajoso



Padre Corajoso

Ministério Público Federal de São Paulo ajuizou ação pedindo a retirada dos símbolos religiosos das repartições públicas.
 
Pois bem, veja o que diz o Frade Demétrius dos Santos Silva.

"Sou Padre católico e concordo plenamente com o Ministério Público de São Paulo, por querer retirar os símbolos religiosos das repartições públicas…

Nosso Estado é laico e não deve favorecer esta ou aquela religião. 

A Cruz deve ser retirada!

Aliás, nunca gostei de ver a Cruz em Tribunais, onde os pobres têm menos direitos que os ricos e onde sentenças são barganhadas, vendidas e compradas.

Não quero mais ver a Cruz nas Câmaras legislativas, onde a corrupção é a moeda mais forte.

Não quero ver, também, a Cruz em delegacias, cadeias e quartéis, onde os pequenos são constrangidos e torturados.

Não quero ver, muito menos, a Cruz em prontos-socorros e hospitais, onde pessoas pobres morrem sem atendimento.

É preciso retirar a Cruz das repartições públicas, porque Cristo não abençoa a sórdida política brasileira, causa das desgraças, das misérias e sofrimentos dos pequenos, dos pobres e dos menos favorecidos.”

Frade Demétrius dos Santos Silva
 São Paulo/SP
Mensagem recebida por e-mail do
Amigo Arlei
 
 

segunda-feira, 27 de maio de 2013

Mantendo a Serenidade



Mantendo a Serenidade

Consideremos que existem atitudes e assuntos que preservam o equilíbrio e a serenidade do grupo de criaturas a que pertençamos na Terra, como já se dispõe no mundo de vacinas diversas que fazem a defesa da saúde humana.

Sabemos que nada sucede sem permissão da Divina Providência, mas todos somos chamados a cooperar com a Providência Divina que nos consente a liberdade de atuar nos acontecimentos do cotidiano, em nossa condição de espíritos responsáveis.

Saibamos arredar da nossa influência pessoal o que seja claramente desnecessário à sustentação da paz no campo dos outros.

Se ouviste algum apontamento desagradável, ao redor de pessoa determinada, assume a função de extintor do comentário infeliz, porque a transmissão de conhecimento desse naipe não tem qualquer significação construtiva.

Diante de um amigo, que se queixa desse ou daquele parente, não comuniques ao parente acusado o desabafo havido, porque apenas agravarias uma guerra familiar que adia indefinidamente a comunhão daqueles que nascem nos mesmos laços de consanguinidade para o aprendizado da união fraternal.

Não dramatizes os próprios problemas, para não difundir impressões exageradas de temas negativos, capazes de prejudicar a muita gente.

Abstém-te de vaticinar calamidades que provavelmente jamais aconteçam.

Protege-te contra o veneno dos boatos, aprendendo a ouvi-los e esquecê-los.

Se tiveres algum pressentimento ou algum sonho, vislumbrando ocorrências infelizes, silencia e ora pela paz dos que estejam incluídos em tuas impressões, porque a Espiritualidade Maior te permite esses informes imprecisos para que ajudes a atenuar o mal ou extingui-lo e não para que lhe favoreças a expansão.

Recorda:-
- Em muitos lances difíceis da vida, a serenidade dos outros depende exclusivamente de nós.

  “Calma”,
 Francisco Cândido Xavier
 Espírito Emmanuel

Remédio contra a Vaidade



Remédio contra a Vaidade 

Chico encontra-se com irmão que sofria de insônia, o qual lhe pede conselhos.
Lembrando-se de André Luiz, cujos maravilhosos livros, por ele recebidos, registram esclarecimentos inéditos, pediu ao companheiro para DORMIR BEM e VIVER BEM, com Jesus na mente e no coração, e daí, nos atos de todo instante, antes de dormir, que lesse o Evangelho e meditasse sobre seus ensinos, que pedisse ao seu autor possibilidades para ser útil, fazer o bem. 
De manhã, que também procedesse assim e levantaria melhor, como melhor haveria de dormir.
Dias depois, encontra-se com o insone. 
Era todo alegria e agradecimento. 
Trazia no bolso várias mensagens de Emmanuel e de André Luiz e já havia repetido seus conselhos à família, aos companheiros de serviço. 
Com o EVANGELHO lido e praticado, havia aprendido a viver bem, a dormir bem, a comer bem.
O médium, satisfeito, despede-se do irmão. 
No escritório da fazenda os colegas já sabiam da bela ação do Chico. 
E, enrolado na onda de elogios, acreditou que de fato fizera um ato de caridade. 
Sentado à mesa de trabalho, sorriu alegre com o acontecido. Emmanuel lhe aparece sorrindo e lhe diz:-
- Bela ação hein Chico!
- Sim, meu pai, e todos se mostraram satisfeitos.
- Também estou. 
Mas não fique vaidoso com isso, porque pensando bem, você não fez vantagem alguma…
- Por quê?
- Porque em matéria de ajuda ao próximo, isto deveria ter sido feito já há dois mil anos…
- Tem razão, estou agindo bem mas agindo tarde, né…


Livro:- ‘’Chico Xavier na intimidade’’
  Ramiro Gama