Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Abrigar e conviver com todos


 
Abrigar e conviver com todos

O conceito de “minorias sociais” é usado de forma genérica para fazer menção a grupos sociais diferenciados por suas características étnicas, religiosas, cor de pele, país de origem, situação econômica, entre outros. 

Tais grupos estão associadas a condições sociais mais frágeis, razão pela qual sofrem discriminação e têm sido vítimas de extremas intolerâncias da chamada (maioria “normal”).
 
Não obstante haver no Brasil normas jurídicas que visam punir tal intransigência, mormente advindas dos grupos religiosos, é inadmissível qualquer intolerância no reduto espírita. 

A nossa Carta Magna assegura a inviolabilidade da liberdade de consciência e de crença, a liberdade de expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença.

Prevendo ainda que toda pessoa tem direito à liberdade de pensamento, consciência e religião. 

Apesar da lei, há grupos, e aqui destacamos os grupos religiosos, promovendo o discurso do ódio, da violência, da discriminação contra os grupos LGBT, idosos, favelados, portadores de necessidades especiais, moradores de rua (quase sempre “invisíveis” aos olhos da sociedade, negros, indígenas, imigrantes e até mesmo contra as mulheres.

A Doutrina dos Espíritos entra no debate para reconhecer que uma civilização “normal” só é completa  pelo seu desenvolvimento moral. 

Em face disso, os Benfeitores expuseram a Kardec:-
- “Credes que estais muito adiantados, porque tendes feito grandes descobertas e obtido  maravilhosas invenções;… 

Todavia, não tereis verdadeiramente o direito de dizer-vos civilizados, senão quando de vossa sociedade houverdes banido os vícios que a desonram e quando viverdes como irmãos (…).”[1], 

Portanto, à medida que a sociedade se aperfeiçoa, faz cessar alguns dos males que gerou, males que desaparecerão com o progresso moral.

Jorge Hessen
jorgehessen@gmail.com

Referência bibliográfica:-
[1]  KARDEC, Allan. O Livros dos Espíritos, per. 793, RJ: Ed. FEB, 2000

Espírita ! Não Desista Jamais !


Espírita ! 
Não Desista Jamais !

O homem não teria alcançado o possível se, repetidas vezes, não tivesse tentado o “impossível”. 

No ancião, por exemplo, a constância da curiosidade de espírito e da abertura ao mundo é um sinal de juventude duradoura. 

A conquista está na persistência daqueles que lutam por aquilo que vale a pena como ideal. 

Lutar é persistir e a perseverança é o caminho do êxito, por isso mesmo realiza o improvável.
 
O evangelista Mateus regista no cap. 24 versículo 13 – “quem perseverar até o fim este será salvo”. 

Ora, com Jesus no coração, diante de uma realidade desafiadora a nossa coragem não pode somente significar ausência do medo, mas a firme pertinácia apesar do receio. 

Sim! 

A vitalidade, a energia, o vigor, o trabalho são confirmados não apenas pela tenacidade, mas pela capacidade da perseverança e recomeço.

A perseverança e a determinação são, por si sós, onipotentes. 

O aforismo “não desista jamais” socorreu e sempre salvará o homem da desesperança. 

E quando estamos sob inflexível indecisão, conseguiremos superá-la se em tais circunstâncias formos perseverantes, recatados e despidos de arrogância.

Desistência tem sido a escolha de muitos em face da incômoda realidade que os fracassos e perdas lhes infligem, fazendo-os interromper ou recuar. 

Contudo, em cada um de nós existe pelo menos um resquício de esperança, que é capaz de nos transportar para a dimensão das possibilidades, nos fazendo acreditar numa iminente virada e o alcance do triunfo.

Nossos sonhos precisam de persistência e coragem para serem realizados. 

Nós os regamos com nossos erros, fragilidades e dificuldades. 

Quando lutamos por eles, nem sempre as pessoas que nos rodeiam nos apoiam e nos compreendem. 

Às vezes somos obrigados a tomar atitudes solitárias, tendo como companheiros apenas nossos próprios sonhos.

Há um mistério para a perseverança? 

Por que nos abalamos nalgumas ocasiões da vida e noutras não? 

A persistência poderia ser caracterizada pelo susto da alma, todas as vezes que é obrigada a mergulhar dentro de si mesma. 

Qual será o rumo da melhor direção, diante dos empecilhos, dos calhaus que encontramos em nosso caminho? 

Abdicarmos do objetivo, optar por outra situação mais fácil, ou perseverar em nossos planos, ainda mesmo que por longo tempo e árduas experiências que nos levem a prantear muitas vezes?

Quem persiste sempre alcançará resultados e satisfações. 

Os grandes homens da história suportaram problemas por anos a fio, até conseguirem a concretização dos seus desígnios que fizeram deles vitoriosos.

Persistência é a irmã gêmea da excelência. 

Uma é a mãe da qualidade, a outra é a mãe do tempo. 

Mesmo não atingindo o alvo, quem busca e vence obstáculos, no mínimo fará coisas admiráveis. 

E ademais, a nossa maior glória não reside no fato de nunca cairmos, mas sim em levantarmo-nos sempre depois de cada queda.

Quando a Providência coloca pedregulhos em nossa caminhada, não o faz para esfolar-nos os pés, porém para aprovisionar material para a edificação da base de nossa conquista. 

O sucesso jamais poderá descansar na fragilidade das facilidades. 

As árvores são fortes porque enfrentam os desafios da natureza, e fincam suas raízes com vigor, na conquista dos elementos vitais. 

Com isso resistem a intensas ventanias.

Jorge Hessen
jorgehessen@gmail.com




quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Comércio e Intercâmbio


Comércio e Intercâmbio

O Comércio é também uma escola de Fraternidade. 

Realmente, carecemos da atenção do vendedor, mas o vendedor espera de nós a mesma atitude.

Diante de balconistas fatigados ou irritadiços, reflitamos nas provações que, indubitavelmente, os constrange nas retaguardas da família ou do lar, sem negar‐lhes Consideração e Carinho.

A pessoa que se revela mal‐humorada, em seus contatos públicos, provavelmente carrega um fardo pesado de inquietação e doença.

Abrir caminho, à força de encontrões, não é só Deselegância, mas igualmente lastimável Descortesia.

Dar passagem aos outros, em primeiro lugar, seja no elevador ou no coletivo, é uma forma de expressar Entendimento e Bondade Humana.

Aprender a pedir um favor aos que trabalham em repartições, armazéns, lojas ou bares, é Obrigação.

Evitar anedotário chulo ou depreciativo, reconhecendo‐se que as palavras criam imagens e as imagens patrocinam ações.

Zombaria ou irritação complicam situações sem resolver os problemas.

Quando se sinta no dever de reclamar, não faça de seu verbo instrumento de agressão.

O erro ou o engano dos outros talvez fossem nossos se estivéssemos nas circunstâncias dos outros.

Afabilidade é Caridade no trato pessoal.

 Livro:- Sinal Verde

 André Luiz

Francisco Cândido Xavier

 


Conversações Infelizes



Conversações Infelizes


Naturalmente, porque estes são dias de insatisfação, as pessoas que de ti se acercam trazem, quase sempre, comentários negativos e observações deprimentes.

Surgem, nas conversas, apontamentos depreciativos que chamuscam a honra alheia, quando não lher atiram lama na conduta que invejam.
Intrigas urdem vinganças sórdidas, entre sorrisos e sarcasmos, gerando inquietação, soprando suspeitas ignóbeis.
Assuntos triviais tomam o tempo e expressões chulas, com anedotário vulgar, entropecem a razão, mantendo psicosfera doentia.
Quando te vejas envolvido pelo clima das conversações nefastas, muda de assunto, propõe tema diferente, conciliador, edificante, substituindo a vulgaridade e o pessimismo, que devem ceder espaço ao conhecimentos da beleza e da verdade.
As conversas vis, envenenam aqueles que as sustentam, enquanto vilipendiam vidas outras que padecem constrições e vivem situações difíceis buscando superá-las a contributo de muito sacrifício.
Seja tua a palavra de Gentileza e de Esperança em qualquer situação.
Entretece comentários Respeitosos e educa os que te compartem as palavras, gerando Otimismo e Fraternidade a todo momento.

Joanna de Ângelis
Divaldo Pereira Franco


quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Doação de Orgãos





Instagram 
 

Será ?



Será ?

Será que Deus tem um cuidado especial conosco, que O amamos e desejamos sempre o melhor para nosso próximo?

Será que Ele, o Nosso Criador, leva em conta nossas necessidades e pedidos?

São tantos os que se perdem em meio aos obstáculos, perdendo o rumo da vida, descrendo de tudo o que possa lhes trazer esperança.

É preciso, no entanto, refletir, pois o que acontece hoje é uma grande porcentagem de pessoas vivendo de maneira irresponsável, fugindo do equilíbrio.

São gastos efetivados sem planejamento.

São contas não pagas e outros levando o prejuízo nas costas.

Lojas são percorridas, produtos são levados, tantas vezes sem necessidade.

São atitudes desconexas no lar, no emprego, na rua.

São decisões erradas. 

Aí vêm os questionamentos:-
– Por quê? Deus me abandonou?
– Será que me falta é sorte?

E aí parte-se para a revolta.

Certamente esse não é o caminho ideal. 

As coisas não vão bem porque vieram erradas do passado.

Faltou planejamento, controle, atitudes certas e oportunas.

Perderam-se as chances de acertar, pelas atitudes precipitadas e inconsequentes.

Quando tudo parece ruir, aí então é preciso reverter pensamentos e atitudes, para que o melhor aconteça.

Quem não reflete não acerta.

Nunca nos esqueçamos das palavras de Salomão, contidas no Livro dos Provérbios:-
- “Meu é o conselho e a equidadade, minha é a prudência, minha é a fortaleza.” 
Cap. 8, 12-14

Então, reagir, decidir bem e acertar é de extrema urgência.

Não nos perdermos em nosso próprio caminho é fundamental.

Enquanto tivermos forças, oremos a fim de que tenhamos o alimento emocional/espiritual necessário, para que chegue a renovação.

Saúde e Paz!


terça-feira, 17 de outubro de 2017

Diga Não


Diga Não 

Diga não ao desanimo e aceite a chegada da alegria, que inundará sua alma de luz.
Diga não ao isolamento e sim ao abraço. 
Sua energia será de júbilo.
Diga não à inércia e trabalhe. 
Faça algo. 
Há tanto para fazer, tanto para colher.
Não tenha medo de se expandir,  de ter pessoas a seu lado.
Fortaleça-se e deseje viver.
Viver não é apenas sobreviver, é ter a coragem na alma para enfrentar os desafios. 
Quando se tem amigos eles lhe ajudam e a vitória é certa.

O espaço é seu, mas muitos desejam estar nele com você. Basta abrir a porta do coração.


Reflexão





domingo, 15 de outubro de 2017

Mudança de Plano



Mudança de Plano


Não esperes pela morte do corpo físico para realizares o serviço da própria elevação.

Cada dia é oportunidade de ascensão ao melhor.

Cada tarefa edificante é degrau com que podemos subir às esferas superiores.

Todos respiramos em planos distintos e todos podemos alcançar horizontes mais altos.

Se te habituaste à irritação, cultiva o silêncio e a tolerância, com os quais te desvencilharás dos laços sombrios da cólera, penetrando os domínios da luz.

Se tens a infelicidade de comprar inimigos, através de atitudes impensadas, detém-te na serenidade e aprende a servir aos teus desafetos, alcançando, assim, o reino brilhante da simpatia.

Se ainda te debates nos desvãos da ignorância, não te esqueças do esforço na leitura sadia e edificante para a aquisição do conhecimento e da sabedoria.

Se respiras no resvaladouro da queixa, esquece a ociosidade e o desânimo, e, erguendo-te para o trabalho digno, consagra-te ao suor enobrecente, a fim de incorporares ao teu patrimônio espiritual o otimismo, a paz, o bom ânimo e a alegria.

Há milhões de "círculos de vida", dentro de nossa residência planetária.

O verme agarra-se à escuridão do subsolo.

O batráquio mora no charco.

A ave plana e canta na altura.

A chama envolve-se nas emanações da luz que irradia.

Assim, também, cada alma reside na esfera de ideal e pensamento que forma para si mesma.

Quem deseje, pois, um mundo melhor pode avançar, pelo trabalho e pela boa vontade, no roteiro da ascensão, desde hoje.



Livro:- Correio Fraterno 
 Emmanuel 
 Francisco Cândido Xavier
 

Cada Dia


Cada Dia

Cada manhã na Terra é uma página em branco de que dispões no livro da vida, para fazer os melhores exercícios e testemunhos de elevação e bondade.
-o-

Não olvides que cada pessoa a cruzar-te o passo, na trilha das horas, é uma oportunidade de construção espiritual.
-o- 

Seja qual seja o motivo para desafeto, cultiva a compreensão e amizade, observando que todo favor que possas prestar a benefício de alguém é uma chave que fabricas para a solução de teus problemas futuros.
-o-

Por mais claras as razões que justifiquem esse ou aquele comentário infeliz, procura encaixar uma frase edificante no círculo das palavras rudes que estejam sendo pronunciadas.
-o-

Por muito que um companheiro te haja ofendido, não lhe negues tolerância e abençoa-o com as tuas preces e gestos de auxílio, na convicção de que estás, com isso, levantando dispositivos de proteção a ti mesmo.
-o-

Na atividade em que te encontres, faze mais que o dever, porquanto o serviço extra, espontâneo e sem recompensa, em toda situação, será sempre a tua mais alta pregação de virtude.
-o-

Começa de casa a execução dos conselhos salutares que ofereces ao próximo, aprendendo que é impossível ajudar a Humanidade quando não saibamos entender e amparar algumas poucas pessoas, entre os limites da parentela.
-o-

Alia ação e oração, sustentando a felicidade dos outros, como queremos que Deus nos concretize a própria felicidade.
-o-

Quando o dia termine, agradece ao Senhor a ventura de haver engastado mais uma pérola do tempo em teu colar de realizações, e, cerrando os olhos para o justo refazimento, guarda por teu maior prêmio a consciência tranquila, com a invariável disposição de viver, cada dia, reconhecendo que tudo na vida depende inteiramente de Deus, mas na certeza de que o trabalho em tuas mãos depende unicamente de ti.


Livro:- “Passos da Vida”
Emmanuel
 Francisco Cândido Xavier 
Espíritos Diversos

sábado, 14 de outubro de 2017

Pacificação


Pacificação   

— “Bem-aventurados os pacificadores, porque, serão chamados filhos de Deus.” JESUS – MATEUS, 5:9.
— “Mas que queria Jesus dizer por estas palavras:-
- “Bem-aventurados os que são brandos porque possuirão a Terra” tendo recomendado aos homens que renunciassem aos bens deste mundo e havendo-lhes prometido os do Céu?

Enquanto aguarda os bens do Céu, tem o homem necessidade dos da Terra para viver. 

Apenas, o que Ele lhe recomenda é que não ligue a estes últimos mais importância que nos primeiros. ” 
Cap. IX, 5 de O Evangelho segundo o Espiritismo.

Escutaste interrogações condenatórias, em torno do amigo ausente.
Informaste algo, com discrição e bondade, salientando a parte boa que o distingue, e, sem colocar o assunto no prato da intriga, edificaste em silêncio, a harmonia possível.
*
Surpreendeste pequeninos deveres a cumprir, na esfera de obrigações que te não competem.
Sem qualquer impulso de reprimenda, atendeste a semelhantes tarefas, por ti mesmo, na certeza de que todos temos distrações lamentáveis.
*
Anotaste a falta do companheiro. 
Esqueceste toda preocupação de censura, diligenciando substitui-lo em serviço, sem alardear superioridade.
Assinalaste o erro do vizinho.
Foges de divulgar-lhe a infelicidade e dispões-te a auxiliá-lo no momento preciso, sem exibição de virtude.
*
Recebeste queixas amargas a te ferirem injustamente.
Sabes ouvi-las com paciência, abstendo-te de impelir os irmãos do caminho às telas da sombra, trabalhando sinceramente por desfazê-las.
*
Caluniaram-te abertamente, incendiando-te  vida.
Toleras serenamente todos os golpes, sem animosidade ou revide e, respondendo com mais ampla abnegação, no exercício das boas obras, dissipas a conceituação infeliz dos teus detratores.
*
Descobriste a existência de companheiros iludidos ou obsidiados que se fazem motivos de perturbação ou de escândalo, no plantio do bem ou na seara da luz.
Decerto não lhe aplaudes a inconsciência, mas não lhe agravas o desequilíbrio, através do sarcasmo, e oras por eles, amparando-lhes o reajuste, pelo pensamento renovador.
*
Se assim procedes, classificas-te, em verdade, entre os pacificadores abençoados pelo Divino Mestre, compreendendo, afinal, que a criatura humana, isoladamente, não consegue garantir a paz do mundo, no entanto, cada um de nós pode e deve manter a paz dentro de si.
“Livro da Esperança”
Emmanuel
Francisco Cândido Xavier


O caminho do guerreiro espiritual não é suave nem doce.



"O caminho do guerreiro espiritual não é suave nem doce.
 
Não é artificialmente feliz. 

Ele não tem medo da sua própria sombra. 

Ele não tem medo de perder popularidade quando fala a sua verdade. 

Não entra em rodeios quando a franqueza é essencial. 

Ele não tem interesse em assuntos que causam sofrimento. 

É benevolente e honesto nos seus esforços para libertar-se a si próprio e à humanidade dos laços egoicos que os prendem.

Espiritualidade que é apenas mental é uma receita para o desastre, permitindo todo o tipo de manipulação. 

A verdadeira espiritualidade é uma busca da verdade, em todas as suas formas, às vezes, encontramo-la em meditação e solidão e, às vezes, encontramo-la no coração do conflito."

"Que todos os guerreiros espirituais tenham coragem e fé no caminho. 

Este planeta está perdido sem eles."


Jeff Brown
 

sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Todos nós já sabemos o que precisamos fazer ......



Um discípulo perguntou a Nasrudin:-

- Como você se tornou um mestre espiritual?

- Todos nós já sabemos o que precisamos fazer em nossas vidas, mas nunca aceitamos isso, – respondeu Nasrudin. 
 
Para entender esta verdade, precisei passar por uma situação curiosa.

“Certo dia, eu estava sentado na beira de uma estrada pensando no que fazer, quando chegou um homem e postou-se diante de mim. 
 
Para afastá-lo dali, eu fiz um gesto, e ele o repetiu. 
 
Achei aquilo engraçado, e fiz outro gesto; ele me imitou, e acrescentou um novo movimento”.

Nós começamos a cantar e a realizar toda sorte de exercícios. 
 
Eu me sentia cada vez melhor, e passei a adorar o meu novo companheiro. 
 
Algumas semanas se passaram, e um dia eu perguntei-lhe:-

“Diga-me:-
- O que devo fazer a seguir, Mestre?”

E o homem replicou:-
- “Mas eu pensei que você era o mestre!”