Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 31 de março de 2013

A Páscoa na Visão Espírita




A Páscoa na Visão Espírita


O Espírita e a Páscoa
 
 
Jesus, quando esteve na Terra, trouxe uma mensagem totalmente inovadora, baseada, no Perdão, no Amor e na Caridade.
 
 Para aquele povo ainda tão materialista e primitivo, foi difícil, aceitar um novo Messias manso e pacífico, quando esperava um líder guerreiro e libertador da escravidão.

Os governantes da época temeram ser Ele um revolucionário que ameaçaria o poder por eles constituído.

Por esses motivos, Jesus foi condenado à morte, crucificado, maneira pela qual os condenados eram executados.

Como um ser de elevada evolução, reapareceu em espírito - não em corpo material - aos apóstolos e a várias pessoas ?

Assim Ele comprovou a existência do espírito, bem como a sobreviência após a morte física e incentivou a continuidade da divulgação de sua mensagem, missão essa desempenhada pelos apóstolos e seus seguidores.

A ciência já comprovou a impossibilidade da ressurreição, ou seja, voltar a viver no mesmo corpo físico, após a morte deste, pois poucos minutos após a morte, os danos causados ao cérebro, são irreversíveis, já se iniciando o processo de decomposição da matéria.

Jesus, portanto, só se mostrou com seu corpo perispirítico, o que explica o fato de só ter sido visto pelos que Ele quis que o vissem.

Se Ele ressuscitasse em seu corpo carnal, estaria contrariando as leis naturais, criadas por Deus.

Sabemos que para Deus nada é impossível, portanto poderia Ele executar milagres.

Mas iria Ele derrogar as leis que Dele próprio emanaram ?
 
Seria para atestar seus poderes ?
 
O poder de Deus se manifesta de maneira muito mais imponente, pelo grandioso conjunto de obras da criação e  pela sábia previdência que essa criação revela, desde as partes mais gigantescas às mínimas, como a harmonia de leis que regem o Universo.
 
Através do Espíritismo compreendemos que não existem milagres, nem fatos sobrenaturais.

O Espiritismo nos ajuda a entender os acontecimentos da passagem de Jesus no plano Terra e esclarece que a Páscoa é uma festividade do calendário, adotada em nossa sociedade, por algumas religiões.

Para aos Espíritas, a Páscoa, como qualquer outro período do ano, deve ser um momento de reflexão, estudos e reafirmação, dos compromissos com o  Mestre, a fim de que cada um realize dentro de si, e no meio em que vive, o reino de Paz e Amor, que Ele exemplificou.

A Doutrina codificada por Allan Kardec, não possui dogmas, rituais, não institui abstinências alimentares, nem possui comemorações vinculadas a datas comerciais e cívicas.

Por isso, os Espíritas não comemoraram a morte, nem o reaparecimento de Jesus.

O Espiritismo nos ajuda a entender os acontecimentos da passagem de Jesus no plano Terra e esclarece que a Páscoa, é uma festividade do calendário, adotada em nossa sociedade por algumas religiões.


O maior milagre que Jesus operou, o que verdadeiramente atesta a sua superioridade, foi a revolução que os seus ensinamentos produziram no mundo, apesar da exiguidade dos seus meios de ação.


Texto publicado no Boletim Informativo do Grupo Espírita Seara do Mestre.

Feliz Páscoa

Formatação:- Amélia Soares
ameliasoares-55@hotmail.com
soares.amelia19@gmail.com



Eliminando a causa, desaparece o efeito



              “ Eliminando a causa desaparece o efeito. “

Quanto tempo perdemos na vida correndo atrás de soluções para problemas que são apenas efeitos,

consequências de atos e comportamentos impensados.

Um exemplo muito comum é a preocupação em manter-se em forma, na linha como se diz popularmente,

sem o devido controle na dieta alimentar. 
De nada adianta correr seis quilômetros para queimar as gordurinhas-extras
e depois chegar em casa e tomar um pote de sorvete.

Coisa semelhante ocorre com o descontrole do orçamento pessoal ou familiar.

Quando desejamos realmente eliminar um problema, é preciso estudá-lo detidamente e refazer as etapas até

encontrar a sua origem, a sua causa, que deverá ser removida para que as etapas posteriores, meros efeitos,

desapareçam em definitivo.

Sem esta medida damos soluções provisórias ou paliativas para aquilo que nos incomoda... e continuará 
incomodando.


                                            “Dia a Dia” 
                               Conceitos para viver melhor 
                                         Paulo R. Santos

sábado, 30 de março de 2013

Ante a oração



Ante a oração

Acatemos na oração a presença da luz que nos descortina a estrada para a Vida Superior, sem prevalecer-nos dela, a fim de queixar-nos de outrem  ou espancar verbalmente seja a quem seja, quando a nossa comunhão com Deus e com a Espiritualidade Superior não seja possível em lugar à parte, no silêncio do coração, conforme a recomendação de Jesus.

André Luiz


                           Francisco Cândido Xavier,
                  Livro “SINAL VERDE” 
                      Edição CEC 
 

O Homem - fruto em maturação


 
O Homem - fruto em maturação
  
O homem, espírito ainda primário, é fadado ao aperfeiçoamento.

É imprescindível que se esforce, qual diamante que, recoberto de impurezas, aflora à superfície do solo, para ser encontrado e lapidado...

Existem Leis que operam precipitando os acontecimentos.

Quando chega o momento, nada consegue deter o curso das coisas. 

Aparentemente anônima entre milhares e milhares de outras, toda criatura concentra a atenção especial do Criador. 

Na hora de maturar, o fruto experimenta inusitada transformação, como se invisível mão o houvesse tocado... 

É claro que nem tudo corre por conta da ação da Lei.

Caso fosse assim, onde o mérito de optar?!

Mas, por outro lado, a Lei age no homem como se fosse o próprio homem
 em ação.

O mecanismo é sutilíssimo, mas igualmente claro.

Um pensamento profundo não será assimilado pelos que “navegam” à 
superfície das águas do Conhecimento...

Os olhos não registram o que não sabem enxergar.

O espírito pode ser comparado a um fruto em inevitável processo de 
amadurecimento.

Exposto a maior calor, mais próxima a época de sazonar-se.

E, feito o agricultor que zela pelo seu pomar, Deus cuida de sua “lavoura” 
de almas...



Irmão José
  Carlos A. Baccelli
Livro “PASSO A PASSO”  
Ed. DIDIER
 

sexta-feira, 29 de março de 2013

Estudo e Observação



 Estudo e Observação


Abraçando a fé raciocinada, ao espírito não será lícito eximir-se ao estudo.
Valer-se do pensamento alheio, a fim de progredir e elevar-se, mas, formar as idéias próprias.
Ler e meditar.
Aprender e discernir.
Antes de tudo, compulsar Allan Kardec e anotar-lhes os princípios, de maneira a observá-los no cotidiano, é obrigação dos que se abeberam nas fontes do Cristianismo Redivivo.
Não só frequentar as lições do Codificador da Doutrina Espírita,  mas, igualmente, confrontar-lhe os textos com os ensinamentos do Evangelho de Jesus.
Render culto à evangelização, através dos fundamentos espíritas.
Jamais esquecer de associar Kardec ao Cristo de Deus, qual o próprio Kardec se associou a Ele em toda a sua obra.
Nunca olvidar que Espiritismo significa Cristianismo interpretado com simplicidade e segurança, para que não venhamos a resvalar na negação, fantasiada de postulados filosóficos.
Estudar para compreender que sem Jesus e Kardec, o fenômeno mediúnico é um passatempo da curiosidade improdutiva.
Pesquisar a verdade para reconhecer que a própria experimentação científica, só por si, sem consequências de ordem moral, não resolve os problemas da alma.
Colaborar com simpatia nos movimentos de perquirição que se efetuam em torno das atividades medianímicas, mas, sem prejuízo dos encargos e responsabilidades espíritas, valorizando o tempo, sem perdê-lo, de modo algum, nas indagações ociosas e infindáveis.
 Selecionar os livros em disponibilidade, escolhendo aqueles que nos purifiquem as fontes da emoção e nos melhorem o nível de cultura.
Conquanto admirando a palavra do apóstolo:-
- "Examinai tudo e retende o melhor", não se comprometer com literatura reconhecidamente deteriorada.

Difundir, quanto possível, as letras nobilitantes.

Proteger o livro espírita e a imprensa espírita com as possibilidades ao nosso alcance.

Concluir, em suma, que tanto necessita o homem de alimento do corpo quanto de alimento da alma e que tanto um quanto o outro exigem cuidado e defesa, higiene e substância, na formação e na aplicação.

 
“No portal da luz”

 Francisco Cândido Xavier
 Espírito de Emmanuel

Diferença



Diferença

A língua dos sábios derrama o conhecimento, mas o coração dos insensatos não procede assim. 
Prov. 15:7

A língua do sábio escreve como a pena de ouro e a tinta de luz, derramando conhecimentos em todas as direções. 

A boca do insensato assemelha-se a um túmulo caiado por fora e podre por dentro. 

Entre os dois, a distância é sobremodo espetacular, não obstante, com o amor e o conhecimento, transmutar-se-ão o espaço e o tempo em campo unificado. 

 Quem se sentir distante um do outro por motivo de evolução, apele pelo Cristo e viva com Ele que perceberá a felicidade da união.

A diferença entre as criaturas é pelas faixas da vida que escolheram para viver. 

A unidade está no clima da caridade que se faz presente pelo processo do amor.

Quem gosta de ouvir os entendidos, amanhã será um deles.

Quem anda em companhia de indispostos para o trabalho tem alergia pelo labor.

A distinção expressa por fora o que somos por dentro e a mudança pode operar a qualquer hora, dependendo da vontade de cada um.

Vamos ouvir as palavras dos homens inteligentes e os exemplos dos justos para que o caminho das trevas à luz fique mais curto.

Quem esconde o saber e ainda não sabe o quanto deveria saber é fonte estagnada e poluída pelo egoísmo. 

Quem ensina sem o alarde da vaidade, recebe mais do que dá, porque vive na abundância do suprimento maior.

A delongado teu despertar está vinculada à tua ignorância; se conheceres a verdade, a verdade te libertará.

Entrega a tua boca ao serviço de Deus e Cristo estará sempre visível ao teu coração. 

Quem está com o Pai, nunca fica longe dos irmãos.


 “Gotas de Ouro”
 João Nunes Maia
 Espírito Carlos

quinta-feira, 28 de março de 2013

Hora da Morte


 
Hora da Morte


Aproxima-se a morte e em pranto me confundo...
— Que sabes de ti mesmo? — a Dúvida reclama.

A Fé, porém, sussurra em torno do meu drama:-

— Descansa e pensa em Deus sobre as mágoas do mundo!...

Abeiro-me do fim, de segundo a segundo,

Na câmara do olhar a treva se derrama,

Extrema inércia invade o casulo de lama,

Falena, ergo-me e vibro ao sol de que me inundo.

Refaz-se-me a visão, entro em êxtase e prece,

A alegria refulge, o sofrimento esquece,

Vertem dos Céus canções de paz indefinida...

Ébrio de luz, exalto , em mágico transporte,

O soluço da vida ante a festa da morte

E a tristeza da morte, ante a glória da vida!


                               Azevedo Cruz

                           “Poetas redivivos”
                        Francisco Cândido Xavier


Lado de Luz



 
Lado de Luz


As provas na Terra apresentam sempre o lado de luz de que são mensageiras.

Entretanto, para observá-lo, urge reconhecer os sinônimos espirituais de que essas mesmas provas se revestem, como sejam:-

- encargo difícil — privilégio;

- dever cumprido — senda libertadora;

- rotina — conquista de competência;

- solidão — tempo de pensar;

- contratempo — aviso benéfico;

- contrariedades no cotidiano — treino de paciência;

- tribulação de improviso — socorro específico;

- moléstia súbita — apoio de emergência;

- lesão congênita — corrigenda no espírito;

- adversários — fiscais proveitosos;

- crítica — apelo a burilamento;

- censura — convite a reajuste;

- ofensa — invocação à tolerância;

- menosprezo — teste de amor;

- tentação — curso de resistência;

- fracasso — necessidade de revisão;

- lar em discórdia — área de resgate;

- parente complexo — dívida em cobrança;

- obstáculo social — ensino de humildade;

- deserção de afetos — renovação compulsória;

- golpes — aulas para discernimento;

- desilusão — visita da verdade;

- prejuízo — identificação de pessoas;

- decepções — informes claros;

- renúncia — rumo certo;

- crise — aferição de valor;

- sacrifício — crescimento espiritual;

Meditemos na significação oculta dos problemas com que somos defrontados no mundo e saibamos aproveitar, enquanto no Plano Físico, a nossa abençoada escola de elevação.

Emmanuel

 “Busca e acharás”
 Francisco Cândido Xavier
 Espíritos Emmanuel e André Luiz 


quarta-feira, 27 de março de 2013

Gratidão



 Gratidão

A vida parece nos fugir quando a dor se aconchega, e parece morar conosco como se fosse nossa parente bem próxima, se acomoda, se fortalece nas atribulações cotidianas, e nos esquecemos do antídoto que Jesus nos apresentou:-
- Amar ao próximo como a si mesmo.

Quem consegue amar, se coloca no lugar do outro, sente sua tristeza, sua dor, sua mágoa, mas perdoa, perdoa sempre, e com muito amor consegue auxiliar os que sofrem dores maiores.

Nem sempre a perda é tão grande, muitas vezes esquecemos o que ganhamos e ganhamos muito, muito mesmo, mais do que pensamos.

Por isso agradeça, sempre, tudo que lhe coube passar, tudo que lhe coube vivenciar, mesmo aquelas experiências dolorosas, pois em tudo há um lado bom, basta olharmos com atenção que encontraremos.

Abençoe o que lhe acontece e seja grato, para que continue sendo abençoado.

Seja próspero para que a prosperidade conviva com você.

Muita luz e paz.

De um amigo aos amigos da Fraternidade



Mensagem recebida pelo Grupo de Estudos
da Psicografia da Fraternidade Francisco de Assis
 

Hoje e Amanhã





Hoje e Amanhã 

Toda ampliação dos valores humanos cresce conforme a despersonalização a que te afeiçoas no culto da verdadeira fraternidade.
Bens terrenos e aptidões intelectuais desenvolvem-se e progridem, desde que lhes canalizes as forças no suprimento do bem alheio.

Aquele que dispõe do que usufrui a favor dos semelhantes, caminha consolidando a própria paz.

A distribuição do ouro é imprescindível à saúde do homem abastado que não lhe resiste ao peso por longo tempo.

O emprego das tendências artísticas e das possibilidades da inteligência em prol da felicidade geral, significa libertação das telas enfermiças da sombra.

Somos hoje, o reflexo de ontem.

Seremos amanhã, o reflexo de hoje.

Usurários, prendendo o dinheiro agora, estaremos depois encarcerados por ele.

Intelectuais viciosos aqui, surgiremos dementados além.

Menos abuso na arte, mais altura de espírito.

Menos preconceito na ciência, mais luminosa ascensão.

Auxílio desinteressado, apoio a nós mesmos.

Renovação interior, subida moral.

Observa em teu presente, o futuro que se avizinha.

Não te enganes.

Extensões de terra, evidência econômica, parques industriais, tanto quanto a máquina do raciocínio, o arquivo da memória e a fonte imaginativa, representam empréstimos do Senhor, a serem mobilizados a serviço de todos, sem o que sofrerás pelos danos da omissão na esfera das consequências.

Não te esqueças, pois, de que és, e serás sempre, o único construtor dos instrumentos de que disponhas na vida e na estrada do teu próprio destino, na marcha insofreável da evolução.


 
“Sol nas Almas”
 Waldo Vieira
Espírito André Luiz


terça-feira, 26 de março de 2013

A Harmonia da Dicção






  
Posted: 21 Mar 2013 03:50 AM PDT

A dicção harmoniosa se apresenta como se fosse um conjunto de estrelas que brilham, mesmo no céu da boca. 

Os teus dentes são como pedras preciosas, quando a tua fala atinge as raias da fala do Mestre. 

 Entretanto, poderás compreender o ponto que pretendemos atingir no teu coração, se ainda não foi dado a tua inteligência descobrir – através da experiência, leituras, de ouvir falar, ou em escolas fechadas – que qualquer dos nossos órgãos, senão as próprias célular, enfim, todo o complexo humano, obedecem ao comando da fala, quando esta é incorporada à harmonia divina, arrojada pela mente educada e amplificada pela voz.
Quando falares a um órgão em desequilíbrio, haverás de usar variadas formas de tons, de jeitos, cada um atendendo a sons diferentes. 

Se a mente é a central que fala, existem outros comandos menores que atendem, fazendo cumprir a nossa vontade. 

É um pouco engenhoso esse trabalho, no entanto, com a prática, poderás ser realmente,  dono e médico de ti mesmo.

 É o que fazem os grandes mestres da palavra. 

O Cristo não curava os outros, falando? Podes começar curando a ti mesmo. 

Primeiramente, deves trabalhar para que o teu corpo, desde o metabolismo celular até a harmonia total do teu aparelho de carne obedeça, para depois operar no plano energético dos corpos espirituais. 

Esquece o fanatismo e inicia com ponderação. Bate os dedos de leve na região enferma ou enfraquecida, e fala com amor, principalmente aos órgãos mais sensívies. 

Em outros casos, como o do fígado e dos rins, fala com energia que não atinja a brutalidade. 

Nada no mundo se dá bem com a arrogância, nem mesmo as plantas e os animais. 

A intuição fará de ti um bom comandante de ti mesmo.

Acalma, com o teu verbo, alguma alteração no teu vizinho, se já conseguiste acalmar os teus impulsos desfavoráveis ao bem. 

Abranda, no teu companheiro, possíveis tormentos, com uma conversa sadia, se já tranquilizaste as veredas da tua mente. 

Apaga, naquele que anda contigo, as chamas da discórdia, se a harmonia já canta em teu coração. 

Sê sempre pacificador no falar, que as luzes brilharão em ti, no grande convite pela e para a paz. 

Cultiva no teu ambiente íntimo a serenidade, porquanto os anjos estão sempre em volta da mansuetude. 

Registra e faze com que os outros reconheçam a harmonia do teu falar. 

Ela é portadora dos fios invisíveis da alegria universal e da verdadeira bonança espiritual.

Devemos, de vez em quando, introvertermo-nos em oração ao Criador, agradecendo a Ele pelo bom uso da palavra, se porventura já tivermos oportunidades de usá-la nesse sentido. 

A fala bem orientada é um manancial de recursos para todas as atividades da alma. 

Certamente que, no princípio dos exercícios da palavra, não verás, de imediato, resultados satisfatórios, mas com o perpassar do tempo, ajudado pela confiança, verás surgir os primeiros milagres da tua mente, em conexão com a tua fala. 

Essas duas forças de Deus em ti fazem prodígios, como comprova a história da humanidade, principalmente o Evangelho de Jesus.

A palavra de Deus e de Cristo não está naqueles que pretendem esquecer a educação da palavra e da mente na limpeza das ideias. 

Por isso, é bom nos lembremos dos escritos de João:-
- “Bem sei que sois descendentes de Abraão, contudo, procurais matar-me, porque a minha palavra não está em vós”. João, 8:37.

Quando a palavra divina está na tua alma, desperta pela tua força de vontade, pelo poder da fé, pelo amor a Deus e ao próximo, a tua fala encanta e embeleza onde quer que estejas, brilhando como estrelas no firmamento e podes dizer e pensar sem constrangimento algum:-
- “Falo assim, porque a minha fala é de luz, porque Deus e Cristo estão em mim”.


Livro Horizontes da Fala
 cap. 26
 Espírito Miramez 
 Psicografia de João Nunes Maia

 

Com Jesus







Com Jesus



A renúncia será um privilégio para você.

O sofrimento glorificará sua vida.

A prova dilatará seus poderes.

O trabalho constituirá título de confiança em seu caminho.

O sacrifício sublimará seus impulsos.

A enfermidade do corpo será remédio salutar para a sua alma.

A calúnia lhe honrará a tarefa.

A perseguição será motivo para que você abençoe a muitos.

A angústia purificará suas esperanças.

O mal convocará seu espírito à prática do bem.

O ódio desafiar-lhe-á o coração aos testemunhos de amor.
 
A Terra, com os seus contrastes e renovações incessantes, representará bendita escola de aprimoramento individual, em cujas lições purificadoras deixará você o egoísmo para sempre esmagado.

Texto extraído do livro “Agenda Cristã” 
 Francisco C. Xavier

segunda-feira, 25 de março de 2013

Milagres em todo lugar




Milagres em todo lugar

“Não há palavra capaz de dizer, quanto eu me sinto em paz perante Deus e a morte.

Escuto e vejo Deus em todos os objetos, embora de Deus mesmo eu não entenda nem um pouquinho…

Ora, quem acha que milagre é alguma coisa demais?

Por mim, de nada sei que não sejam milagres…

Cada momento de luz ou de treva é para mim um milagre, milagre cada polegada cúbica de espaço.

Cada metro de superfície da terra está cheio de milagres, e cada pedaço do seu interior está apinhado deles.

O mar é para mim um milagre sem fim:-
- Os peixes nadando, as pedras, o movimento das ondas, os navios que vão com homens dentro.”

Walt Whitman, autor destes versos, confessa que não entende Deus, mas O sente profundamente nas coisas da vida.

Neste poema, intitulado “Milagres”, ele vai descrevendo detalhada e apaixonadamente, tudo que lhe mostra com clareza a presença desses milagres.

Por vezes são coisas tão simples, como sentar à mesa e fazer uma refeição com sua mãe, ou sentar debaixo de uma árvore com alguém que ama, ou ainda observar os animais se alimentando no campo.

O poema é uma descrição de dezenas de imagens, situações e fatos, que ele considera como milagres.

Uma narração arrebatadora de alguém que consegue, simplesmente, perceber as belezas da vida.

Um encontro de uma alma com a riqueza do singelo.

Contemplação enlevada do que para muitos já passa despercebido, sem ser notado…

Onde foi parar nossa sensibilidade para essas coisas?

Onde foi parar nosso encantamento com a vida?

Por que não enxergamos mais os milagres que cintilam no véu da noite, e que são cores sob o astro rei do dia?

Uma série de anúncios de televisão mostrou algo muito interessante. 

Em um deles, mostrava muitas pessoas fechadas num escritório, trabalhando.

Uma delas então, começava ir, de sala em sala, dizendo algo como:-
- " Venham ver! 

É incrível!”

A notícia se espalhou e todos começaram a sair correndo de seus postos de trabalho para irem em direção a uma grande janela que havia no prédio.

Quando finalmente todos chegaram lá, estavam anestesiados e encantados com a imagem:-
- Era um pôr-do-sol. 

E diziam:-
- ” Nossa, um pôr-do-sol, que lindo! 

Inacreditável!”

Possivelmente, há tanto tempo não viam o sol se pôr, que haviam esquecido quanto era belo.

Acostumamos com muitas coisas e deixamos de perceber o quanto são grandiosas.

Acostumamo-nos com as pessoas, e esquecemos de dizer o quanto são importantes para nós.

Acostumamos com tudo que temos, e nem temos mais tempo de agradecer…

Precisamos voltar a nos surpreender com a vida, com as pessoas, conosco mesmo.

Quantos “milagres” acontecendo neste exato instante?

Quanto mais pudermos identificá-los e senti-los, mais próximos poderemos estar deste estado d’alma que pode afirmar:-
- “Não há palavra capaz de dizer quanto eu me sinto em paz perante Deus e a morte.

Ora, quem acha que um milagre é alguma coisa demais?

Por mim, de nada sei que não sejam milagres…”


Redação do Momento Espírita