Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Amparo




Amparo

Sempre que o seu objetivo for a caridade não tema.
Siga no caminho do bem, e encontrará mãos para lhe amparar, e que fará com que o seu objetivo tenha mais e mais êxito.
Com amor tudo se resolve, nunca duvide, que seguindo esse caminho logo encontrará a paz.
O amparo chega de onde menos esperamos.
São as mãos que mesmo invisíveis lhe amparam, para que consiga enfim vencer as suas dificuldades.
Ame, ame e será feliz.
De um amigo aos amigos da Fraternidade.

Mensagem recebida pelo Grupo de Estudos 
da Psicografia da Fraternidade Francisco de Assis

Apliquemos




Apliquemos


Não nos conformemos à pura condição de ouvintes, diante das verdades eternas.

Como classificar o aluno que estuda indefinidamente sem jamais aprender, ou o homem que desaprovar sem experimentar?

Recordemos que tudo na vida é causa e efeito, ação e retribuição.

Quem descobre algo de importante para o bem, realmente, não foge a demonstrações.

Quem planta com segurança, colhe a seu tempo.

Quem examina com atenção, adquire conhecimento.

Quem analisa  com imparcialidade, alcança a luz da justiça.

Quem estima as indicações valiosas, procura segui-las.

Quem ama auxilia sempre, agindo em favor do objeto amado.

No círculo das idéias superiores, a lei não difere.

Se buscamos o "mais alto", não desdenhamos subir.

Se pretendemos a sublimação, não nos cabe olvidar a disciplina.

Se desejamos o equilíbrio ou a reestruturação é necessário fugir à desarmonia.

Se tentamos o convívio com as claridades da montanha, não podemos mergulhar o coração nas sombras do vale.

Se aspiramos a ressureição, não menosprezaremos o ato de renovar.

Se sonhamos com a Esfera Maior na largueza dos nossos projetos e idéias, é imprescindível voar no campo restrito do "eu" à glória da vida universal.

As comparações simples lembram-nos as obrigações complexas, ante as leis que nos regem.

Sejamos dedicados ouvintes, procurando a posição de executores das lições recolhidas e cedo alcançaremos o prêmio do amor e da sabedoria que representam as duas faces de nossa felicidade eterna.


           Emmanuel
          Taça de Luz
         Francisco Cândido Xavier
       Espíritos Diversos
 


quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Mortes Coletivas ......Porque ?





Mortes Coletivas ......Porque ?


MORTES COLETIVAS SEGUNDO O ESPIRITISMO

O que procede quando vemos um desencarne coletivo de mais de 200 jovens que reunidos em uma diversão são então ceifados da vida encarnada de forma abrupta?

Logo vem a pergunta POR QUÊ?

É certo que a Providência Divina reúne, por força das necessidades das criaturas, estas mesmas criaturas em torno de circunstâncias que promovem o desencarne coletivo.

Lembrando que o acaso não existe, nos reportemos à questão 737 de “O Livro dos Espíritos”, onde os espíritos nos dizem que Deus fere a humanidade por meio de flagelos destruidores para fazê-la progredir mais depressa.

Essas ocorrências, chamadas catastróficas, que ocorrem em grupos de pessoas, em família inteira, em toda uma cidade ou até em uma nação, não são determinismo de Deus, por ter infringido Suas Leis, o que tornaria assim, em fatalismo. Não.

Na realidade são determinismos assumidos na espiritualidade, pelos próprios Espíritos, antes de reencarnar, com o propósito de resgatar velhos débitos e conquistar uma maior ascensão espiritual.

O Espírito André Luiz, no livro Ação e Reação, afirma esses fatos:-
- “nós mesmos é que criamos o carma e este gera o determinismo”.

São ações praticadas no pretérito longínquo, muito graves, e por várias encarnações vamos adiando a expiação necessária e imprescindível para retirada dessa carga do Espírito, com o fim de galgar voos mais altos. 

Assim, chega o momento para muitos, por não haver mais condições de protelar tal decisão, e terão que colocar a termo a etapa final da redenção pretendida perante as Leis Divinas.

Dessa complexidade de fatos é que geram as chamadas “mortes coletivas”.

Os Espíritos Superiores possuem todo conhecimento prévio desses fatos supervenientes, tendo em vista as próprias determinações assumidas pelos Espíritos emaranhados na teia de suas construções infelizes, aí, providenciam equipes de socorros altamente treinadas para a assistência a esses Espíritos que darão entrada no plano espiritual.

Mesmo que o desencarne coletivo ocorra identicamente para todos, a situação dos traumas e do despertar dependerá, individualmente, da evolução de cada um.

  Estes fatos, mais uma vez André Luiz confirma:-
- “se os desastres são os mesmos para todos, a “morte” é diferente para cada um”.

Osvaldo Lira



A Vida me Ensinou ....





A vida me ensinou...

A dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração;

Sorrir ás pessoas que não gostam de mim,

Para mostrá-las que sou diferente do que elas pensam,

Fazer de conta que tudo está bem, quando isso não é verdade, para que eu possa acreditar que tudo vai mudar,

Calar-me para ouvir, aprender com meus erros.

Afinal eu posso ser sempre melhor.

A lutar contra as injustiças, 

sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minha dores para o mundo.

A ser forte quando os que amo estão com problemas,

Ser carinhoso com todos que precisam do meu carinho,

Ouvir a todos que só precisam desabafar,

Amar aos que me machucam ou querem fazer de mim depósito de suas frustrações e desafetos,

Perdoar incondicionalmente, pois já precisei desse perdão,

Amar incondicionalmente, pois também preciso desse amor,

A alegrar a quem precisa,

A pedir perdão,

A sonhar acordado,

A acordar para a realidade (sempre que fosse necessário ),

A aproveitar cada instante de felicidade,

A chorar de saudade sem vergonha de demonstrar,

Me ensinou a ter olhos para "ver e ouvir estrelas", embora nem sempre consiga entendê-las,

A ver o encanto do pôr-do-sol,

A sentir a dor do adeus e  do que se acaba,

sempre lutando para preservar tudo o que é importante para a felicidade do meu ser,

A abrir minhas janelas para o amor,

A não temer o futuro,

Me ensinou e está me ensinando a aproveitar o presente, como um presente que da vida recebi, e usá-lo como um diamante que eu mesmo tenha que lapidar, lhe dando forma da maneira que eu escolher.


Charles Chaplin





 
 
/c77.0.403.403/p403x403
 
/22601_418361678219151_980066540_n.jpg" width=403 
 
height=328>
 
 
 

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Apelo Espírita







Apelo  Espírita



Irmão, faze:-

- de cada ensinamento que recebes uma instrução do Plano Superior;

- de cada tarefa, por mínima que seja, uma realização em que deixes os melhores sinais de tua presença;

- de cada conversão, um entendimento construtivo;

- de cada conversação, um mensageiro de tua cooperação, no levantamento da felicidade geral;

- de cada relação nova, uma sementeira de bênçãos;

- de cada necessitado, um irmão que te espera o auxílio, em nome da Divina Paternidade;

- de cada desapontamento, um teste de compreensão;

- de cada experiência, um ensejo de aprender;

- de cada hora, uma oportunidade de servir...

Companheiro da Terra, és o viajor em trânsito na hospedaria do mundo!... 

Guarda o coração e a consciência, na prática do bem, de tal modo, que possas receber, com o despertar de cada manhã, um novo renascimento na casa física e, no descanso de cada noite, um ensaio de regresso tranquilo ao teu lar verdadeiro, na Vida Espiritual.





AlbinoTeixeira
“Caminho Espírita”
Francisco Cândido Xavier 
Autores diversos


Nos Momentos Graves ..........




Nos Momentos Graves 

Não delibere apressadamente.
As circunstâncias, filhas dos Desígnios Superiores, modificam-nos a experiência, de minuto a minuto.
Use calma.
A vida pode ser um bom estado de luta, mas o estado de guerra nunca será uma vida boa.
Evite lágrimas inoportunas.
O pranto pode complicar os enigmas ao invés  de  resolvê-los.
 Se você errou desastradamente, não se precipite no desespero.
O reerguimento é a melhor medida para aquele que cai.
Tenha paciência.
Se você não chega a dominar-se, debalde buscará o entendimento de quem não o compreende ainda.
Se a questão é excessivamente complexa, espere mais um dia ou mais uma semana, a fim de solucioná-la. 
O tempo não passa em vão.
A pretexto de defender alguém, não penetre o círculo barulhento. 
Pessoas que fazem muito ruído por simples questão de gosto.
 Seja comedido nas resoluções e atitudes.
Nos instantes graves, nossa realidade espiritual é mais visível.
 
    Texto: Chico Xavier
Música: Zemfir
Formatação: bvbiavasconcellos@gmail.com
http://comamoravidas.ning.com
 Recebido por e-mail do 
Amigo Pedro Paulo
 

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Dias Difíceis




Dias Difíceis  

Há dias que parecem não ter sido feitos para ti.

Amontoam-se tantas dificuldades, inúmeras frustrações e incontáveis aborrecimentos, que chegas a pensar que conduzes o globo do mundo sobre os ombros dilacerados.

Desde cedo, ao te ergueres do leito, pela manhã, encontras a indisposição moral do companheiro ou da companheira, que te arremessa todos os espinhos que o mau humor conseguiu acumular ao longo da noite.

Sentes o travo do fel despejado em tua alma, mas crês que tudo se modificará nos momentos seguintes.

Sais à rua, para atender a esse ou àquele compromisso cotidiano, e te defrontas com a agrestia de muitos que manejam veículos nas vias públicas e que os convertem em armas contra os outros; constatas o azedume do funcionário ou do balconista que te atende mal, ou vês o cinismo de negociantes que anseiam por te entregar produtos de má qualidade a preços exorbitantes, supondo-te imbecil. 

Mesmo assim, admites que, logo, tudo se alterará, melhorando as situações em torno.

Encontras-te com familiares ou pessoas amigas que te derramam sobre a mente todo o quadro dos problemas e tragédias que vivenciam, numa enxurrada de tormentos, perturbando a tua harmonia ainda frágil, embora não te permitam desabafar as tuas angústias, teus dramas ou tuas mágoas represadas na alma. 

Em tais circunstâncias, pensas que deves aguardar que essas pessoas se resolvam com a vida até um novo encontro.

São esses os dias em que as palavras que dizes recebem negativa interpretação, o carinho que ofereces é mal visto, tua simpatia parece mero interesse, tuas reservas são vistas como soberba ou má vontade. 

Se falas, ou se calas, desagradas.

Em dias assim, ainda quando te esforces por entender tudo e a todos, sofres muito e a costumeira tendência, nessas ocasiões, é a da vitimação automática, quando se passa a desenvolver sentimentos de autopiedade.

No entanto, esses dias infelizes pedem-nos vigilância e prece fervorosa, para que não nos percamos nesses cipoais de pensamentos, de sentimentos e de atitudes perturbadores.

São dias de avaliação, de testes impostos pelas regentes leis da vida terrena, desejosas de que te observes e verifiques tuas ações e reações à frente das mais diversas situações da existência.

Quando perceberes que muita coisa à tua volta passa a emitir um som desarmônico aos teus ouvidos; se notares que escolhendo direito ou esquerdo não escapas da ácida crítica, o teu dever será o de te ajustares ao bom senso. 

Instrui-te com as situações e acumula o aprendizado das horas, passando a observar bem melhor as circunstâncias que te cercam, para que melhor entendas, para que, enfim, evoluas.

Não te olvides de que ouvimos a voz do Mestre Nazareno, há distanciados dois milênios, a dizer-nos:-
- No mundo só tereis aflições...

Conhecedores dessa realidade, abrindo a alma para compreender que a cada dia basta o seu mal..., tratarás de te recompor, caso tenhas te deixado ferir por tantos petardos, quando o ideal teria sido agir como o bambuzal diante da ventania. Curvar-se, deixar passar o vendaval, a fim de te reergueres com tranqüilidade, passado o momento difícil.

Há, de fato, dias difíceis, duros, caracterizando o teu estádio de provações indispensáveis ao teu processo de evolução. 

A ti, porém, caberá erguer a fronte buscando o rumo das estrelas formosas, que ao longe brilham, e agradecer a Deus por poderes afrontar tantos e difíceis desafios, mantendo-te firme, mesmo assim.

Nos dias difíceis da tua existência, procura não te entregares ao pessimismo, nem ao lodo do derrotismo, evitando alimentar todo e qualquer sentimento de culpa, que te inspirariam o abandono dos teus compromissos, o que seria teu gesto mais infeliz.

Põe-te de pé, perante quaisquer obstáculos, e sê fiel aos teus labores, aos deveres de aprender, servir e crescer, que te trouxeram novamente ao mundo terrestre.

Se lograres a superação suspirada, nesses dias sombrios para ti, terás vencido mais um embate no rol dos muitos combates que compõem a pauta da guerra em que a Terra se encontra engolfada.

Confia na ação e no poder da luz, que o Cristo representa, e segue com entusiasmo para a conquista de ti mesmo, guardando-te em equilíbrio, seja qual for ou como for cada um dos teus dias.

Sentes o travo do fel despejado em tua alma, mas crês que tudo se modificará nos momentos seguintes.

Sais à rua, para atender a esse ou àquele compromisso cotidiano, e te defrontas com a agrestia de muitos que manejam veículos nas vias públicas e que os convertem em armas contra os outros; constatas o azedume do funcionário ou do balconista que te atende mal, ou vês o cinismo de negociantes que anseiam por te entregar produtos de má qualidade a preços exorbitantes, supondo-te imbecil. 

Mesmo assim, admites que, logo, tudo se alterará, melhorando as situações em torno.

Encontras-te com familiares ou pessoas amigas que te derramam sobre a mente todo o quadro dos problemas e tragédias que vivenciam, numa enxurrada de tormentos, perturbando a tua harmonia ainda frágil, embora não te permitam desabafar as tuas angústias, teus dramas ou tuas mágoas represadas na alma. 

Em tais circunstâncias, pensas que deves aguardar que essas pessoas se resolvam com a vida até um novo encontro.

São esses os dias em que as palavras que dizes recebem negativa interpretação, o carinho que ofereces é mal visto, tua simpatia parece mero interesse, tuas reservas são vistas como soberba ou má vontade. 

Se falas, ou se calas, desagradas.

Em dias assim, ainda quando te esforces por entender tudo e a todos, sofres muito e a costumeira tendência, nessas ocasiões, é a da vitimação automática, quando se passa a desenvolver sentimentos de autopiedade.

No entanto, esses dias infelizes pedem-nos vigilância e prece fervorosa, para que não nos percamos nesses cipoais de pensamentos, de sentimentos e de atitudes perturbadores.

São dias de avaliação, de testes impostos pelas regentes leis da vida terrena, desejosas de que te observes e verifiques tuas ações e reações à frente das mais diversas situações da existência.

Quando perceberes que muita coisa à tua volta passa a emitir um som desarmônico aos teus ouvidos; se notares que escolhendo direito ou esquerdo não escapas da ácida crítica, o teu dever será o de te ajustares ao bom senso. Instrui-te com as situações e acumula o aprendizado das horas, passando a observar bem melhor as circunstâncias que te cercam, para que melhor entendas, para que, enfim, evoluas.

Não te olvides de que ouvimos a voz do Mestre Nazareno, há distanciados dois milênios, a dizer-nos:-
- No mundo só tereis aflições...

Conhecedores dessa realidade, abrindo a alma para compreender que a cada dia basta o seu mal..., tratarás de te recompor, caso tenhas te deixado ferir por tantos petardos, quando o ideal teria sido agir como o bambuzal diante da ventania. 

Curvar-se, deixar passar o vendaval, a fim de te reergueres com tranqüilidade, passado o momento difícil.

Há, de fato, dias difíceis, duros, caracterizando o teu estádio de provações indispensáveis ao teu processo de evolução. 

A ti, porém, caberá erguer a fronte buscando o rumo das estrelas formosas, que ao longe brilham, e agradecer a Deus por poderes afrontar tantos e difíceis desafios, mantendo-te firme, mesmo assim.

Nos dias difíceis da tua existência, procura não te entregares ao pessimismo, nem ao lodo do derrotismo, evitando alimentar todo e qualquer sentimento de culpa, que te inspirariam o abandono dos teus compromissos, o que seria teu gesto mais infeliz.

Põe-te de pé, perante quaisquer obstáculos, e sê fiel aos teus labores, aos deveres de aprender, servir e crescer, que te trouxeram novamente ao mundo terrestre.

Se lograres a superação suspirada, nesses dias sombrios para ti, terás vencido mais um embate no rol dos muitos combates que compõem a pauta da guerra em que a Terra se encontra engolfada.

Confia na ação e no poder da luz, que o Cristo representa, e segue com entusiasmo para a conquista de ti mesmo, guardando-te em equilíbrio, seja qual for ou como for cada um dos teus dias.