Ocorreu um erro neste gadget

terça-feira, 30 de junho de 2015

Voltarás Amanhã

Voltarás Amanhã


Não repouses na gleba de possibilidades que o Divino Amor te confiou ao coração na Terra.
 
Voltarás amanhã para colher o que hoje semeias.


Ninguém te pede milagres de santidade num dia.


A árvore vigorosa não cresceu de improviso.


A cidade em que renasceste não se levantou de repente.


Tudo se desenvolve, minuto a minuto...


A vida impõe-te "agora" as conseqüências do "antes".


Somos hoje no espaço e no tempo, a projeção do que fomos...


Se a dor é a tua mestra constante, agradece-lhe o serviço e aprende a lição. 


Ela é o recurso invisível com que a Bondade do Senhor te arrebata ao labirinto das sombras de ti mesmo.

Se recebeste alguma facilidade para atravessar, com êxito, a escura região terrestre, não te confies à preguiça ou à vaidade, para que o sofrimento não seja convidado a desintegrar a gelada neblina em que te sepultarás sem perceber.


Não te esqueças.


A oportunidade passa, mas a luta adiada volta sempre.


Amanhã reencontrar-te-ás contigo mesmo, na paisagem que o mundo te oferece, nos ideais que esposas, nos trabalhos confiados à tua mão ou na pessoa do próximo que honras e menosprezas...


Cumpramos, agora, os nossos iluminados deveres à face da Lei.


Convertamos nossa experiência pessoal em serviço a todos, transformando as horas, que Deus empresta, em bênçãos de utilidade, beleza, graça e harmonia e o futuro constituir-se-á para nossa alma em abençoado e celeste caminho de ascensão.


Não critiques destruindo. 


Não julgues o mal por mal. 

Não firas a ninguém.

Não revides os golpes da sombra para que te não demores nas malhas da treva.


Não retribuas ofensa por ofensa, amargura por amargura, incompreensão por incompreensão.


Ama, auxilia e passa, e, quando regressares à Terra, amanhã, o mundo receberá teus pés, em chuva de bênçãos.
 


 Emmanuel
Francisco Cândido Xavier 

Lembra-Te de Deus


Lembra-Te de Deus


Lembra-te de Deus para que não olvides a tua alma no labirinto das sombras.

O Criador vive e palpita na Criação que O reflete.

Quando estiveres ferido pelas farpas do sofrimento, lembra-te de Deus que, em muitas ocasiões, socorre a terra seca, por intermédio de nuvens tempestuosas.

Quando te sentires revoltado ante as misérias do mundo, lembra-te de Deus, cuja majestade permanece incorruptível, no próprio fruto podre, através da semente pura em que a planta se renovará exuberante e vitoriosa.

Lembra-te de Deus e aprende a não julgar com os olhos físicos, que apenas assinalam na Terra ligeiras nuances da verdade.

Tudo nos infinitos domínios do Infinito Universo transformação incessante para a gloria do bem.

Em razão disso, o mal sempre efêmero nevoeiro na exaltação da eterna paz, e toda sombra, por mais dilatada no espaço e no tempo, não passa de expressão transitória no jogo das aparências.

Não reproves, assim, o solo estéril pela carência que patenteia e nem condenes a víscera cadavérica pelo bafio que exala, porque, amanhã, a Bondade de Deus pode reunir um e outro, com eles edificando um berçário de lírios.

Não te antecipes à Justiça do Pai Celeste quando fores incomodado, porque o Pai Celeste sabe distribuir o pão e a corrigenda com os filhos que lhe constituem o patrimônio de excelso amor.

Ainda mesmo diante do inferno que nós criamos na consciência com os nossos erros deliberados, ei-lo, bondoso, a expressar-se com o seu Divino Devotamento, transformando-o em lixívia que nos sane as mazelas da alma.

Trabalha, ajudando sempre, na certeza de que Deus sustenta a vida, para que a vida se aprimore.

Assim sendo, no principio de cada dia ou no começo de cada tarefa nova, faze da oração a nota inicial de teu passo primeiro, para que te não falte a inspiração do Céu em toda a medida justa.

Quando fatigado, seja Deus teu descanso.

Quando aflito, seja Deus teu console.

Quando supostamente derrotado, seja Deus teu arrimo.

Quando em desalento, seja Deus tua fé.

Ergue, diariamente, um templo vivo de amor a Deus em teu espírito e rende-lhe preito incessante, através do serviço ao próximo, nas lutas de cada hora.

Em todos os lances de nossa peregrinação para os cimos, lembremo-nos de Deus para que não estejamos esquecidos de nós.
       
Meimei

Francisco Cândido Xavier

domingo, 28 de junho de 2015

Os 10 Mandamentos de Osho


Os 10 Mandamentos de Osho

Você pergunta pelos meus dez mandamentos. 


Isso é muito difícil, porque eu sou contra qualquer tipo de mandamento. 



Todavia, só pela brincadeira, eu estabeleço o que se segue:-



1 - Não obedeça a ordens, 
exceto àquelas que venham de dentro.

2 - O único Deus é a própria vida.

3 - A verdade está dentro,
não a procure em nenhum outro lugar.

4 - O amor é a oração.

5 - O vazio é a porta para a verdade, 
é o meio, o fim e a realização.

6 - A vida é aqui e agora.

7 - Viva completamente acordado.

8 - Não nade, flutue.

9 - Morra a cada momento 
para que você possa se renovar a cada momento.

10 - Pare de buscar. 
O que é, é:-
- Pare e Veja.



"A Cup of Tea"
Osho

Água Fluída, o Remédio que vem do Céu !!!


Água Fluída, o Remédio que vem do Céu !!!



Meu amigo, quando Jesus se referiu à benção do copo de água fria, em seu nome, não apenas se reportava à compaixão rotineira que sacia a sede comum. 

Detinha-se o Mestre no exame de valores espirituais mais profundos. 


A água é dos corpos o mais simples e receptivo da terra. 


É como que a base pura, em que a medicação do Céu pode ser impressa, através de recursos substanciais de assistência ao corpo e à alma, embora em processo invisível aos olhos mortais. 


A criatura que ora ou medita exterioriza poderes, emanações e fluidos que, por enquanto, escapam à análise da inteligência vulgar e a linfa potável recebe a influência, de modo claro, condensando linhas de força magnética e princípios elétricos, que aliviam e sustentam, ajudam e curam.


A fonte que procede do coração da Terra e a rogativa que flui no imo d’alma, quando se unem na difusão do bem, operam milagres.


O Espírito que se eleva na direção do céu é antena viva, captando potências da natureza superior, podendo distribuí-las em benefício de todos os que lhe seguem a marcha.


Ninguém existe órfão de semelhante amparo. 


Para auxiliar a outrem e a si mesmo, bastam a boa vontade e a confiança positiva.

Reconheçamos, pois, que o Mestre, quando se referiu à água simples, doada em nome da sua memória, reportava-se ao valor real da providência, em benefício da carne e do espírito, sempre que estacionem através de zonas enfermiças. 


Se desejas, portanto, o concurso dos Amigos Espirituais, na solução de teus problemas orgânicos ou dos problemas de saúde e equilíbrio dos companheiros, coloca o teu recipiente de água cristalina, à frente de tuas orações, espera e confia.


O orvalho do Plano Divino magnetizará o líquido, com raios de Amor, em forma de bênção, e estarás, então, consagrando o sublime ensinamento do copo de água pura, abençoado nos Céus.


sábado, 27 de junho de 2015

Jóias de Allan Kardec


Jóias de Allan Kardec

Allan Kardec era cauteloso na análise das informações dos espíritos.

Também nós, devemos ter o mesmo cuidado para não aceitarmos o "espírito" da mentira.


Lembranças


Lembranças


O mundo em que vivemos é propriedade de Deus.

Devemos agradecer as bênçãos de Nosso Pai Celestial, todos os dias.

O coração agradecido ao Senhor espalha a bondade e a alegria em seu nome.

Jesus rendia graças a Deus, auxiliando o próximo.

A Natureza diariamente glorifica a Divina Bondade, na luz do Sol, na suavidade do vento, no canto das aves e no perfume das flores.

Quem ajuda às plantas e aos animais revela respeito e carinho na Criação de Nosso Pai Celestial.

Devo ser bom para com todos, porque Deus tem sido infinitamente bom para comigo, em todas as ocasiões.

Quem trabalha com alegria mostra reconhecimento ao Céu.

Cooperando de boa-vontade com os outros, estaremos servindo a Deus.

Meimei
Francisco Cândido Xavier

sexta-feira, 26 de junho de 2015

Oração de Francisco Cândido Xavier



Oração de Francisco Cândido Xavier

Que eu continue a acreditar no outro mesmo sabendo de alguns valores tão esquisitos que permeiam o mundo; 

Que eu continue otimista, mesmo sabendo que o futuro que nos espera nem sempre é tão alegre; 

Que eu continue com a vontade de viver, mesmo sabendo que a vida é, em muitos momentos, uma lição difícil de ser aprendida; 

Que eu permaneça com a vontade de ter grandes amigos(as), mesmo sabendo que com as voltas do mundo, eles(as) vão indo embora de nossas vidas; 

Que eu realimente sempre a vontade de ajudar as pessoas, mesmo sabendo que muitas delas são incapazes de ver, sentir, entender ou utilizar esta ajuda;

Que eu mantenha meu equilíbrio, mesmo sabendo que os desafios são inúmeros ao longo do caminho; 

Que eu exteriorize a vontade de amar, entendendo que amar não é sentimento de posse, é sentimento de doação;

Que eu sustente a luz e o brilho no olhar, mesmo sabendo que muitas coisas que vejo no mundo, escurecem meus olhos; 

Que eu retroalimente minha garra, mesmo sabendo que a derrota e a perda são ingredientes tão fortes quanto o sucesso e a alegria;

Que eu atenda sempre mais à minha intuição, que sinaliza o que de mais autêntico possuo; 

Que eu pratique sempre mais o sentimento de justiça, mesmo em meio à turbulência dos interesses; 

Que eu não perca o meu forte abraço, e o distribua sempre; 

Que eu perpetue a beleza e o brilho de ver, mesmo sabendo que as lágrimas também brotam dos meus olhos; 

Que eu manifeste o amor por minha família, mesmo sabendo que ela muitas vezes me exige muito para manter sua harmonia; 

Que eu acalente a vontade de ser grande, mesmo sabendo que minha parcela de contribuição no mundo é pequena; 

E, acima de tudo...

Que eu lembre sempre que todos nós fazemos parte desta maravilhosa teia chamada vida, criada por alguém bem superior a todos nós!

E que as grandes mudanças não ocorrem por grandes feitos de alguns e, sim, nas pequenas parcelas cotidianas de todos nós! 

Emmanuel
Francisco Cândido Xavier

Colabora


Colabora 


... saí de tí mesmo e ampara aos que esmoreceram de inanição na vida íntima..."

Se a compreensão já se te fez luz nos recessos da alma, reflete nos problemas da fome espiritual.

Não existiria a delinqüência na Terra, em tamanha extensão, não fosse a carência de recursos na sustentação da alma.

Indaguemos dos companheiros internados em sanatórios e instituições outras de trabalho reeducativo, para tratamento das alterações psicológicas de que são portadores, se teriam entrado em qualquer processo culposo, caso soubessem quanto lhes custaria a recuperação.

Conheces as estatísticas, referentes às áreas do Planeta, ameaçadas pela falta de pão.

Medita nas multidões, em todos os setores da experiências terrestre que clamam por esclarecimento e consolo, segurança e tranqüilidade.

Fotografas a presença de certas enfermidades no corpo, através da radiografia.

A biópsia fornece exata notícia do câncer.

Quem fará a identificação do desânimo no caráter juvenil ou da tempestade de lágrimas que arrasa um coração materno?

Sai de tí mesmo e ampara aos que esmorecem de inanição na vida íntima.

A fome do estômago grita e agride.

A fome do coração, no entanto, é anestesiada pelas sombras da ignorância, quando as sombras da ignorância acerca de Deus e da Imortalidade alcançam as forças do sentimento.

Tolera, serve, eleva e abençoa.

Para auxiliar na extinção das trevas de espírito, ninguém te pede espetáculos de grandeza.

Basta te disponhas a estender essa ou aquela migalha de amor num raio de luz.

 Meimei
Francisco Cândido Xavier

quinta-feira, 25 de junho de 2015

Caridade da Coragem


Caridade da Coragem
Uma espécie de Caridade de que poucos amigos se lembram:-
- A Caridade da Coragem.
Recorda os companheiros que adoeceram por falta de energia emocional, diante de confidências amargas.
Dos que enlouqueceram ouvindo denúncias lamentáveis, não vacilando em atingir a própria delinquência, ante o ressentimento de que se viram acometidos, ao recolherem anotações indébitas, em torno da vida familiar.
Dos irmãos outros que receando dificuldades e obstáculos da existência, se mergulharam nos alucinógenos sem necessidade.
Dos que se impressionaram em demasia com sintomas sem maior importância e caíram na rede das moléstias imaginárias que lhes devastam a mente.
Daqueles que se confiaram à subversão, em matéria de trabalho, acompanhando impensadamente as atitudes destrutivas de colegas revoltados e infelizes.
Pensa naquelas criaturas que te aguardam a assistência e o carinho e que ainda não podem te dispensar a presença protetora, a fim de se consagrarem às obrigações que lhes dizem respeito.
Reflete nas calamidades afetivas, provocadas pela fraqueza daqueles que desertam dos compromissos assumidos, arruinando o caminho de famílias inteiras.
Meditemos nos Infortúnios a que nos referimos e pede ao Senhor te acrescente a capacidade de resistir às tentações e ao medo, à omissão e ao desânimo, porque nós todos não prescindimos de equilíbrio para executar os encargos que abraçamos e é indispensável se reafirme, em cada um de nós, a força espiritual suficiente para agir com intrepidez, sem temeridade, e a disposição de cultivar a Coragem de sermos fiéis à Lei de Deus.
Livro:- O Essencial 
 Emmanuel –
Chico Xavier

Colher e Garganta


Colher e Garganta

            Imaginemos a língua como sendo a colher do sentimento.
            Mentalizemos o ouvido por garganta da alma.
            Tudo o que falamos é ingrediente para a digestão espiritual.
            Bondade é pão invisível.
            Gentileza é água pura.
            Otimismo é reconstituinte.
            Consolação é analgésico.
            Esclarecimento construtivo é vitamina mental.
            Paciência é antitóxico.
            Perdão é cirurgia reajustante.
            Queixa é vinagre.
            Censura é pimenta.
            Crueldade é veneno.
            Calúnia é corrosivo.
            Conversa inútil é excedente enfermiço.
            Maledicência é comida deteriorada.
            Falando, edificamos.
            Falando, destruímos.
            Falando, ferimos.
            Falando, medicamos.
            Falando, curamos.
            Disse o Divino Mestre:-
- “Bem-aventurados os pacificadores...”
            Usemos para com os outros o alimento da Paz, porque, estendendo Paz aos outros, asseguramos Paz a nós mesmos.
            E, com a Paz, conseguiremos possuir espaço e tempo terrestres, em dimensões maiores, para que aprendamos e possamos, realmente, servir.
Livro:- O Espírito da Verdade 
 Hilário Silva 
 Chico Xavier

quarta-feira, 24 de junho de 2015

A Arte de Doar


A Arte de Doar


Quando ofertarmos, possuímos.



Quando recebemos, tornamo-nos devedores.


A felicidade em poder repartir é sempre maior do que aquela que convida a acumular quando o próximo tem carência.

A semente que se nega a sucumbir na terra, para desdobrar-se na vida, morre na inutilidade.

Todavia, a que perece, esmagada no solo, revive com exuberância.

Toda doação é uma sementeira para o futuro, que a vida se encarrega de multiplicar.

Há moedas esquecidas que se podem tornar dádivas de importância, tais como a hospitalidade fraternal, a expressão de cortesia, o gesto de amizade, a participação no sofrimento alheio, o sorriso gentil, que não custam dinheiro e, em certos momentos, são mais valiosos do que ele.

A caridade que se converte em triunfo pessoal naquele que a recebe, é sempre luz inapagável na vida de quem a pratica.

Vive com otimismo na confiança integral em Deus e distribui alegria por onde passes.

Não deixes ninguém afastar-se de ti, sem que leve um traço de bondade ou um sinal de paz da tua vida.

Quem se aproximou de Jesus, nunca mais foi o mesmo, jamais O esqueceu.

Joanna de Ângelis
Divaldo P. Franco