Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

É preciso Coragem ..............




Nada é tãoContagioso ......


                                                     Olá Pessoal, bom dia!

Ser o exemplo a ser seguido, é uma responsabilidade muito garnde, pois exige de nós uma postura que muitas vezes não conseguimos ter.

Então, quero eu todos sejam exemplos naquilo que conseguem ser:-
- exemplo de mãe, 
- de filhos, de pai, 
- de irmão,
- de amigo, 
- de profissional, 
- de cidadão...

Mas antes de ser o exemplo, dê exemplos de atitudes positivas!
                                  #Acreditar #Agir #Mudar

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Fazer o Bem, é Bom !!!!













 




































 Fazer o Bem, é Bom !!!!


"Dê um sorriso a um estranho na rua, pois pode ser que essa seja a única demonstração de afeto que ele receba em um dia". 

Essa frase é do Papa Francisco e ilustra bem uma outra, "faça o bem sem olhar a quem".

Fazer o bem é simples. 

Engana-se quem pensa que é preciso de grandes atitudes, como acordar na madrugada e fazer sopa para desabrigados ou largar tudo e viajar o mundo pela Cruz Vermelha. 

Sim, claro que esses feitos são muito louváveis e fazem a diferença, mas praticar a bondade está presente também em ações corriqueiras, no dia a dia.

Ajudar o próximo pode ser simples, basta que a gente cultive o amor e o desejo de que as pessoas estejam, de fato, bem. 

Nesta energia, tudo ao ser redor emanará amor. 

Simples coisas, como um sorriso para um estranho na rua, um bom dia para quem cruza seu caminho, uma gentileza no trânsito. 

Tudo isso pode mudar o mundo de alguém.

E, mais importante que isso, é a sensação enriquecedora que isso causa em nós. 

Quando praticamos o amor, por meio do bom-humor, da empatia, da amizade e da compaixão, emitimos ondas com esses sentimentos e entramos nas frequências onde essas virtudes circulam. 

Sendo assim, também recebemos em troca, já que tudo no universo gira em espiral infinita.

Então, experimente sorrir mais, acenar mais, olhar nos olhos das pessoas, dizer mais vezes a palavra "obrigado", praticar mais carinhos e afagos. 

Com isso, você é capaz de mudar o mundo do outro e também o seu.
 
                                       Fonte:- Site Arita
TENHAM UM BOM DIA!
Lane Miotto
 

Ninguém ..............



sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

A razão de sua vida......



Tire o pó se precisar


Tire o pó se precisar

Não deixe suas panelas brilharem mais do que você!!!! 

Não leve a faxina ou o trabalho tão a sério! 

Pense que a camada de pó vai proteger a madeira que está por baixo dela! 

Uma casa só vai virar um lar quando você for capaz de escrever "Eu te amo" sobre os móveis!

Antigamente eu gastava no mínimo 8 horas por semana para manter tudo bem limpo, caso "alguém aparecesse para visitar" 
- mas depois descobri que ninguém passa "por acaso" para visitar - todos estão muito ocupados passeando, se divertindo e aproveitando a vida! 

E agora, se alguém aparecer de repente? 

Não tenho que explicar a situação da minha casa a ninguém... ...as pessoas não estão interessadas em saber o que eu fiquei fazendo o dia todo enquanto elas passeavam, se divertiam e aproveitavam a vida...

Caso você ainda não tenha percebido:-
- A VIDA É CURTA... APROVEITE-A!!!

Tire o pó... se precisar... 

Mas não seria melhor pintar um quadro ou escrever uma carta, dar um passeio ou visitar um amigo, assar um bolo e lamber a colher suja de massa, plantar e regar umas sementinhas? 

Pese muito bem a diferença entre QUERER e PRECISAR !

Tire o pó... se precisar... 

Mas você não terá muito tempo livre... 

Para beber champanhe, nadar na praia (ou na piscina), escalar montanhas, brincar com os cachorros, ouvir música e ler livros, cultivar os amigos e aproveitar a vida!!!

Tire o pó... se precisar... 

Mas a vida continua lá fora, o sol iluminando os olhos, o vento agitando os cabelos, um floco de neve, as gotas da chuva caindo mansamente.... 

- Pense bem, este dia não voltará jamais!!!

Tire o pó... se precisar... mas não se esqueça que você vai envelhecer e muita coisa não será mais tão fácil de fazer como agora... 

E quando você partir, como todos nós partiremos um dia, também vai virar pó!!!

Ninguém vai se lembrar de quantas contas você pagou, nem de sua casa tão limpinha, mas vão se lembrar de sua amizade, de sua alegria e do que você ensinou.

AFINAL:- "Não é o que você juntou, e sim o que você espalhou que reflete como você viveu a sua vida."
TENHAM UM BOM DIA!!!
Lane Miotto

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Impossível .....


Impossível ......

Ninguém foge à Lei da Reencarnação


Ninguém foge à Lei da Reencarnação



"EM UMA CASA ESTARÃO REUNIDOS 5 PESSOAS, DUAS ESTARÃO CONTRA 3, TRÊS ESTARÃO CONTRA DUAS", 
JESUS!


Ontem, atraiçoamos a confiança de um companheiro, induzindo-o à derrocada moral.
Hoje, guardamo-lo na condição do parente difícil, que nos pede sacrifício incessante.

Ontem, abandonamos a jovem que nos amava, inclinando-a ao mergulho na lagoa do vício.
Hoje, temo-la de volta por filha incompreensiva, necessitada do nosso amor.

Ontem, colocamos o orgulho e a vaidade no peito de um irmão que nos seguia os exemplos menos felizes.
Hoje, partilhamos com ele à feição de esposo despótico ou de filho-problema, o cálice amargo da redenção.

Ontem, esquecemos compromissos veneráveis, arrastando alguém ao suicídio.
Hoje, reencontramos esse mesmo alguém na pessoa de um filhinho, portador de moléstia irreversível, tutelando-lhe, à custa de lágrimas, o trabalho de reajuste.

Ontem, abandonamos a companheira inexperiente, à míngua de todo auxílio, situando-a nas garras da deliquência.
Hoje, achamo-la ao nosso lado, na presença da esposa conturbada e doente, a exigir-nos a permanência no curso infatigável da tolerância.

Ontem, dilaceramos a alma sensível de pais afetuosos e devotados, sangrando-lhes o espírito, a punhaladas de ingratidão.
Hoje, moramos no espinheiro, em forma de lar, carregando fardos de angústia, a fim de aprender a plantar carinho e fidelidade.

À frente de toda dificuldade e de toda prova, abençoa sempre e faze o melhor que possas.

Ajuda aos que te partilham a experiência, ora pelos que te perseguem, sorri para os que te ferem e desculpa todos aqueles que te injuriam ....

A Humildade é a chave de nossa libertação.

E, sejam quais sejam os teus obstáculos na família, é preciso reconhecer que toda construção moral do Reino de Deus, perante o mundo, começa nos alicerces invisíveis da luta em casa.


Página do Facebook
Madre Tereza de Calcutá, 
a Verdadeira Imagem da Caridade !!!!

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Prece pela Saúde


Prece pela Saúde

 Pai amado!
 
Sei que a Saúde é dádiva preciosa através da qual posso me movimentar com mais proveito dentro das tarefas que me cabem no mundo!... 

A Saúde é dom que ativa o entusiasmo e a alegria de viver; sem ela nada é prazeroso ou adequado, e a sua ausência faz a vida esvair-se lentamente qual areia em mãos frouxas e insensíveis... 

Tenho consciência, Senhor, de que muitas vezes fui o responsável pelos sofrimentos físicos a que me vi submetido, notando a doença instalar-se em mim com a irreverência dos convidados insensatos, por minha própria invigilância no terreno da prudência e da higiene... 

Outras vezes, foi a Providência Divina, bem sei, quem lançou mão do recurso da enfermidade como prova ou resgate ao meu espírito necessitado, e para que eu me percebesse da importância da saúde para toda e qualquer realização terrena...

Por isso, Pai, ajuda-me a tomar consciência de que preciso velar sobre o meu corpo como quem vela sobre vaso de preciosa e delicada origem!... 

Auxilia-me a compreender, sempre que eu me sentir inclinado a abusos de qualquer sorte, de que necessito dele para prosseguir minha jornada com bom ânimo e disposição e que se arruinado por minha própria invigilância, me serão cada vez mais difíceis as encarnações futuras e conseqüentemente o meu progresso e a minha felicidade real!...

 
Assim seja!!!

Detalhes - curta-metragem sobre o pintor Marcelo Cunha


domingo, 16 de fevereiro de 2014

Garotinha envia Mensagem Para a Avó Falecida em um Balão e Recebe Respos...


A Escravidão da Bebida


A Escravidão da Bebida !!!

Indicação:- Jesus !


O consumo de alcoólicos pelo ser humano não é hábito recente; é tão antigo quanto o próprio homem das cavernas. 

Seja qual for o período histórico e em que sociedade com a qual se relacionou ou a cultura que recebeu, o homem tem bebido. 

Há 3700 anos “Código de Hamurabi” já trazia normativos sobre as situações, lugares e pessoas que podiam ou não fazer a ingestão de bebida alcoólica. 

Há 2500 anos os chineses perdiam – literalmente – a cabeça por causa da bebida alcoólica – a prática era punida com a decapitação. 

Configura-se um costume extremamente antigo e que vem persistindo por milhares de anos. 

Paulo escreveu para os cristãos de Efésio:-
- “E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito.”

 O álcool é a droga “lícita” mais consumida no mundo contemporâneo, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Ainda de acordo com a OMS, a bebida alcoólica é a droga legalizada de escolha entre crianças e adolescentes. 

Estima-se que o uso desse tóxico tenha início aos 10 a 12 anos. 

Os males gerados pelo alcoolismo são a terceira causa de morte no mundo. 

Estudos encontrados na literatura científica mostravam que os homens bebiam mais que as mulheres em todas as faixas etárias, e que jovens consumiam mais álcool do que idosos.

Porém, outras pesquisas apontam para o aumento anual, no Brasil e no mundo, do porcentual de mulheres dependentes. 

No passado, pontuam os especialistas, para cada cinco usuários problemáticos de álcool existia uma mulher na mesma condição. 

O estudo demonstra que atualmente a razão comparativa é de 1 para 1. 

Elas já bebem tanto quanto eles, mas concentradas em fases distintas. 

É mais recente a aceitação social do uso do álcool pelas mulheres. 

Realmente, antes elas não bebiam tanto. 

Com isso, o foco das campanhas preventivas ficou muito centrado nos homens. 

As mulheres ficaram negligenciadas nessa abordagem. 

Raros são os ginecologistas, por exemplo, que questionam se as suas pacientes bebem. 

As grandes vítimas são os filhos, envolvidos numa rotina de restrições e constrangimentos. 

Filhos de mulheres que consomem álcool em excesso durante a gravidez estão sujeitos à síndrome alcoólica fetal, que pode provocar sequelas físicas e mentais no recém-nascido. 

Crianças e adolescentes filhos de pais com o vício estão mais sujeitos a desequilíbrios emocionais e psiquiátricos. 

Normalmente, o primeiro problema identificado é um prejuízo severo na autoestima, com repercussões negativas sobre o rendimento escolar e as demais áreas do funcionamento mental. 

Esses adolescentes e crianças tendem a subestimar suas próprias capacidades e qualidades. 

Os dados atuais sobre alcoolismo são devastadores. 

Segundo pesquisa realizada pelo Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clinicas (HC) de São Paulo, ligado à Secretaria de Estado da Saúde, mais de 9% dos idosos paulistanos consomem bebida alcoólica em excesso. 

O levantamento feito com 1.563 pessoas com 60 anos ou mais apontou que 9,1% dessa população abusa do álcool, o equivalente a 88 mil idosos da capital paulista. 

Demonstrado cientificamente que o álcool é pernicioso em qualquer faixa etária, seus danos entre os adolescentes são patentes, sobretudo, durante a fase escolar, uma vez que o uso sucessivo da substância impede o rendimento, além de provocar desordem mental, falta de coordenação, problemas de memória e de aprendizado. 

Consequentemente, esse processo resulta também em dores de cabeça, alteração do ciclo natural do sono, da fala e do equilíbrio. 
 
A dependência ao álcool pode ser hereditária, havendo uma predisposição orgânica do indivíduo para o seu desdobramento, no qual o Espírito imortal traz em seu DNA perispiritual as marcas e consequências do vício em outras experiências reencarnatórias, sendo compreensível, então, que o alcoolismo seja transmissível de pais para filhos. 

As matrizes dessas disfunções estão no passado, seja de forma hereditária ou espiritualmente, em decorrência de experiências infelizes, remanescentes de pregressas existências.

Segundo André Luiz, “ao reencarnarmos trazemos conosco os remanescentes de nossas faltas como raízes congênitas dos males que nós mesmos plantamos, a exemplo, da Síndrome de Down, da hidrocefalia, da paralisia, da cegueira, da epilepsia secundária, do idiotismo, do aleijão de nascença desde o berço.” 

“O corpo perispiritual, que dá forma aos elementos celulares, está fortemente radicado no sangue. 

O sangue é elemento básico de equilíbrio do corpo perispiritual”. 

Em “Evolução em dois Mundos” o mesmo autor espiritual revela-nos que “os neurônios guardam relação íntima com o perispírito.” 

Portanto, a ação do álcool no psicossoma é letal, criando fuligens venenosas que saturam no corpo psicossomático, danificando tanto as células perispirituais quanto as células físicas. 

As substâncias dos alcoólicos ingeridos caem na corrente sanguínea, daí chegam ao cérebro, atacam as células neuronais; estas refletirão nas províncias correlatas do corpo perispiritual em configuração de danos e deformações apreciáveis que, em alguns casos, podem chegar até a desfigurar a própria feição humana do perispírito.

Infelizmente a liberalidade de muitas famílias com o álcool é um dos maiores problemas para a prevenção:-
- É mito considerar que maconha leva os jovens a outras drogas. 

São as bebidas alcoólicas que fazem esse papel. 

Nefastamente é a azada família que estimula a ingestão dos “inofensivos destilados e/ou fermentados”. 

Não são poucos que começaram a beber quando o patriarca (pai), orgulhoso do filho que virava homem, os atraía para os drinques dos “machões”. 

O vício de beber cria rotinas que envolvem cúmplices encarnados e desencarnados que compartilham do mesmo hábito e manias. 

Bares, restaurantes, lanchonetes, clubes sociais e avenidas estão repletos de jovens que, displicentemente, fazem uso, em larga escala e abertamente, das tragédias engarrafadas ou enlatadas. 

A instalação do alcoolismo envolve três características:-
- A base genética, o meio e o indivíduo. 

Filhos de pais alcoólatras podem ser geneticamente diferentes, porém só desenvolverão a doença se estiverem em um meio propício e/ou características psicológicas favoráveis. 

Os infelizes “canecos carnais” não só desfiguram e arrasam o corpo como agridem e violentam o caráter e deterioram o psicossoma através das obsessões, acendidas por espíritos beberrões que compartilham junto do bêbado os mesmos vícios e se alimentam através dos vapores alcoólicos expelidos pelos poros e boca numa simbiose mortificante. 

É precisamente esse vampirismo incorpóreo que ilustra o motivo de o alcoolismo ser avaliado como moléstia progressiva e de certo modo incurável. 

É verdade! 

Parar de beber, dizem membros do AA’s (Alcoólicos Anônimos), é a vitória maior para o dependente, mas a doença não acaba. 

Se ele voltar a dar uns goles, em pouco tempo recupera um ritmo igual ou até maior do que o mantido antes da pausa. 

“Não existe ex-alcoolista nessa história”, sustentam os frequentadores dos AA’s. 

Essas são razões suficientes para que nas celebrações e festejos com amigos nos bares da vida, fugir do compromisso da vã tradição da bebedeira a fim de divertir-se. 

O oceano é constituído de pequenas moléculas de H2O, e as praias se formam com incontáveis grânulos de areia. 

É indispensável, portanto, desatar-se daquele clichê do “é só hoje”, e quando arrastados a comportamentos para “distrair”, não se deve aceitar a perigosíssima escapadela do "só um golinho", até porque não se pode esquecer que uma miúda picada de cobra peçonhenta, conquanto em acanhada porção, pode produzir a morte imediata, portanto ao invés de se distrair vai se destruir. 

Sem dúvida que  mais fácil é evitar-lhes a instalação do que lutar depois pela supressão do vício (como dizem os membros dos AA’s:-
- Não há ex-alcoólatra). 

A questão assenta raízes densas na sociedade, provocando medidas curadoras e profiláticas nos círculos religiosos, médicos, psicológicos e psiquiátricos, necessitando de imperiosa assistência de todos os segmentos sociais para (quem sabe!) minimizar seus efeitos flagelantes. 

Destarte, faz-se urgente assentar a questão da alcoolfilia no foco dos debates públicos. 

Até porque o problema da consumação alcoólica precisa ser atacado sem trégua, a fim de que sejam encontradas soluções para a complexa epidemia do “tóxico legal”. 

Para todos jugulados pelos vícios recomendamos Jesus. 

Sim! 

O Messias que prometeu:-
- “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. 

Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. 

Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve.” 

Jorge Hessen


sábado, 15 de fevereiro de 2014

Depressão, na Visão Espírita - Reinaldo Possancini dos Santos

  Depressão, na Visão Espírita 

A depressão pode ser conceituada como uma alteração do estado de humor, uma tristeza intensa, um abatimento profundo, com desinteresse pelas coisas. 

Tudo perde a graça, o mundo fica cinza, viver torna-se tarefa difícil, pesada, com idéias fixas e pessimistas.

Poderíamos considerá-la como uma emoção estragada. 

As emoções naturais devem ser passageiras, circularem normalmente, sem desequilibrar o ser. 

A tristeza, por exemplo, é uma emoção natural, que nos leva a entrar em contato conosco, à introspecção e à reflexão sobre nossas atitudes. 

 Agora, uma vez estagnada, prolongada, acompanhada de sentimento de culpa, nos leva a depressão.

Podemos dividir a "depressão" em três formas, de acordo com o fator causal:-
- Depressão Reativa ou Neurose Depressiva:- esta depende de um fator externo desencadeante, geralmente perdas ou frustrações, tais como separação, perda de um ente querido, etc.

- Depressão Secundária a Doenças Orgânicas:- acidente vascular cerebral ("Derrame"), tumor cerebral, doenças da tireóide, etc.

Depressão Endógena:- por deficiência de neurotransmissores. 

Exs.:depressão do velho, depressão familiar e psicose maníaco-depressiva.

Estima-se que a depressão incida em cerca de 14% da população, ou seja, temos no Brasil cerca de 21 milhões de deprimidos.

Ela afeta todo o ser, acarretando uma série de desequilíbrios orgânicos, sobretudo, comprometendo a qualidade de vida, tornando a criatura infeliz e com queda do seu rendimento pessoal.

André Luiz cita nas suas obras que os estados da mente são projetados sobre o corpo através dos bióforos que são unidades de força psicossomáticas, que se localizam nas mitocôndrias. 

A mente transmite seus estados felizes ou infelizes a todas as células do nosso organismo, através dos bióforos. 

Ela funciona ora como um sol irradiando calor e luz, equilibrando e harmonizando todas as células do nosso organismo, e ora como tempestades, gerando raios e faíscas destruidoras que desequilibram o ser.

Segundo Emmanuel, a depressão interfere na mitose (divisão) celular, contribuindo para o aparecimento do câncer e de outras doenças imunológicas, sobretudo a deficiência imunitária facilitando às infecções.

Na depressão existe uma perda de energia vital no organismo, num processo de desvitalização.

O indivíduo perde energia por dois mecanismos principais:-
  • 1º) Perde sintonia com a Fonte Divina de Energia Vital:- o indivíduo não se armando como deve, com sentimento de auto-estima em baixa, afasta de si mesmo, da sua natureza divina, elo de ligação com a fonte inesgotável do Amor Divino. 
 
  • Além do mais, o indivíduo ao se fechar em seus problemas e suas mágoas, cria um ambiente vibracional negativo, que dificulta o acesso da espiritualidade Maior em seu benefício.

  • 2º) Gasto Energético Improdutivo:- o indivíduo ao invés de utilizar o seu potencial energético para desenvolver potencialidades evolutivas, vivendo intensamente as experiências e os desafios que a vida lhe apresenta, desperdiça energia nos sentimentos de auto-compaixão, tristeza e lamentações. Sofre e não evolui.

CAUSAS PRINCIPAIS

A depressão está freqüentemente associada a dois sentimentos básicos: a tristeza e culpa degenerada em remorso.

Quando por algum motivo infringimos a lei natural, ao tomarmos consciência do erro cometido, temos dois caminhos a seguir:-
  1. Erro>Consciência>Arrependimento>Tristeza>Reparação
  2. Erro>Consciência>Culpa-remorso (idéia fixa)>Depressão
  3. O primeiro caminho é meio natural de nosso aperfeiçoamento. 
 
Uma vez tomando consciência de nossas imperfeições e erros cometidos, empreendemos o processo de regeneração através de lições reparadoras.
 De outra maneira, se ao invés nos motivarmos a nos recuperarmos, nós nos abatermos, com sentimento de desvalia, de auto-punição, e permanecermos atrelados ao passado de erros, com idéias fixas e auto-obsessivas, nós estaremos caminhando para o estado de depressão, que é improdutivo no sentido de nossa evolução.

Outra condição que nos leva à depressão é citada pelo espírito de François de Geneve no Evangelho Segundo o Espiritismo, cap. V item 5 (A Melancolia), onde relata que uma das causas da tristeza que se apodera de nossos corações fazendo com que achemos a vida amarga é quando o Espírito aspira a liberdade e a felicidade da vida espiritual, mas, vendo-se preso ao corpo, se frustra, cai no desencorajamento e transmite para o corpo apatia e abatimento, se sentindo infeliz.

Para François Geneve então, a causa inicial é esta ânsia frustrada de felicidade, liberdade almejada pelo espírito encarnado, acrescido das atribulações da vida com suas dificuldades de relacionamentointerpessoal, intensificada pelas influências negativas de espíritos encarnados e desencarnados.

Outro fator que está determinando esta incidência alarmante de depressão nos nossos dias é o isolamento, a insegurança e o medo que estão acometendo as pessoas na sociedade contemporânea.

Absorvido pelos valores imperantes como o consumismo, a busca do prazer imediato, a competitividade, a necessidade de não perder, de ser o melhor, de não falhar, o homem está de afastando de si e de sua natureza. 

Adota então uma máscara (persona), que utiliza para representar um "papel" na sociedade.

 E, nesta vivência neurotizante, ele deixa de desenvolver suas potencialidades, não se abre, nem expõe suas emoções, pois estas demonstram que de fato ele é. 

Enclausurado, fechado nesta carapaça de orgulho e egoísmo, ele se isola e se sente sozinho. 

Solidão, não no sentido de estar só, mas de se sentir só. 

Mais do que se sentir só é a insatisfação da pessoa com a vida e consigo mesma.

O indivíduo nessa situação precisa se cercar de pessoas e de coisas para ficar bem, pois, desconhece que ele se basta pelo potencial divino que tem.

A solidão é conseqüência de sua insegurança, de sua imaturidade psicológica. 

Nos primeiros anos de vida, a criança enquanto frágil e insegura, é natural que tenha necessidade de que as pessoas vivam em função delas, dando-lhes atenção e proteção.

 É a fase do egocentrismo, predominantemente receptiva. 

Com o seu amadurecimento, começa a criar uma boa imagem de si, tornando-se mais seguro, e a partir de então, passa a se doar, a se envolver e a participar mais do a mundo.

 O que acontece é que certas pessoas, por algum motivo, têm dificuldades neste processo de amadurecimento afetivo, mantendo-se essencialmente receptivas e não participativas, exigindo carinho, respeito e atenção, sem se preocuparem da mesma forma com os outros. 

Fazem-se de vítimas, pobre coitados, sem as responsabilizarem por si.

Conseguem o seu equilíbrio às custas das conquistas exteriores. 

A primeira frustração que se deparam, não toleram, pois expõe suas fraquezas e isto motiva um quadro de depressão.

Em alguns idiomas, doença e vazio têm a mesma tradução. 

A doença seria decorrente de um vazio de sentimentos que gera depressão e adoece o ser.

Um indivíduo quando perde a capacidade de se amar, quando a auto-estima está debilitada, passa a ter dificuldade de amar o semelhante, pois o sentimento de amor, de generosidade para com o próximo, é um sentir de dentro para fora. 

Este sentimento de amor ao próximo, nada mais é do que uma extensão do nosso amor, da nossa sintonia com o Deus interior que nós temos em nós.

 A pessoa que tem dificuldade nesta composição de amar a si e, por conseqüência, amar o próximo, deixa de receber o amor e a simpatia do outro, e não consegue entra em sintonia com a fonte sublime inesgotável do Amor Divino. 

Nós limitamos aquilo que recebemos de Deus, na medida do quanto doamos ao próximo. 

Quem ama muito, muito recebe. 

Quem pouco ama, pouco recebe. 

Esse afastamento de si, e por conseguinte de Deus, gera a tristeza, o vazio, a depressão e a doença.


TRATAMENTO 

A depressão é um sintoma que nos diz que não estamos nos amando como deveríamos.

O caminho para sairmos dela é preencher este vazio com a recuperação da auto-estima e do amor em todos os sentidos. 

Primeiro, procurando nos conhecer e nos analisar, com o intuito de nos descobrirmos, sem nos julgarmos, sem nos punirmos ou nos culparmos. 

E depois, nos aceitarmos como somos, com todas as nossas limitações, mas sabendo que temos toda potencialidade divina dentro de nós, esperando para desabrochar como sementes de luz.

Isto nada mais é do que desenvolver a fé em si e no criador, sentimento este que transforma e que nos liga diretamente a Deus.

Uma pessoa consciente de sua riqueza interior passa a ter segurança e fé nas suas potencialidades infinitas, começando a gostar e acreditar em si, amando-se e a partir de então, sentindo necessidade de expandir este sentimento a tudo e todos. 

Começa assim a se despertar para os verdadeiros valores da vida espiritual, se transformando numa pessoa feliz e sorridente, pois onde existe seriedade, há algo de errado; a seriedade está ligada ao ser doente. 

Sorria e seja feliz amando e servindo sempre.

A terapia contra a depressão se baseia no amar e no servir, se envolvendo em trabalhos úteis e no serviço do bem. 

Seja no trabalho profissional, no trabalho do lazer, ou no trabalho de servir ao próximo, o indivíduo se ocupa, exercita o amor, e deixa de se envolver com as lamentações, pois a infelicidade faz seu ninho no escuro dos sentimentos de cada um. 

Dificilmente conheceremos um deprimido, entre aqueles que trabalham a serviço do bem.

Para doarmos este amor, não basta somente fazermos obras de caridade, temos que nos tornarmos caridosos; antes de fazermos o bem temos que ser bons. 

Darmos um pão, um agasalho, mais junto colocarmos uma boa dose de afeto e carinho. 

Ser acima de tudo generosos, que é a caridade com afeto. 

As pessoas estão com fome de amor, de calor humano, um ombro amigo, um abraço, um aconchego e uma palavra de carinho.

Às vezes, com um simples sorriso, um bom dia, um olhar afetuoso, nós estamos doando energia e transmitindo vida.

O homem alcançou um enorme progresso intelectual, satisfazendo suas necessidades materiais com os avanços tecnológicos. 

Porém, ainda se depara com enormes dificuldades na convivência fraterna com o seu semelhante. 

Estamos cada vez mais próximos um dos outros através dos meios de comunicação e, no entanto, mais afastados emocionalmente. 

Agora, o homem está sentindo a necessidade premente de desenvolver a afetividade, de se envolver, amar e sentir o seu semelhante.

Temos que ressuscitar e liberar a criança que está esquecida dentro de nós. 

Para resgatarmos esta criança que adormece em nós, é necessário que vejamos o mundo de forma positiva e otimista. 

A nossa criança interior, geralmente se encontra retraída e oprimida, porque a vida nos apresenta de forma desagradável; ainda não vivemos de forma natural, espontânea e isto gera ansiedade e sofrimento. 

Como a criança é movida pelo prazer, ela se recolhe e não se manifesta.

A criança não se julga, não se pune. 

Ela apenas vive o hoje, o agora, integrada perfeitamente a Deus e à natureza. 

"Deixai vir a mim as criancinhas porque o reino dos céus é de quem vos assemelham" - com estas palavras quis Jesus dizer que teremos que ser puros, autênticos, integrados com a nossa natureza divina, sem fugas ou máscaras, para alcançarmos a nossa evolução espiritual.

Ter atitudes simples, como lidar com animais, brincar com crianças, atividades criativas como a pintura, tocar um instrumento, fazer pequenas tarefas domésticas, cozinhar, manter uma conversa amena, contar um caso, ver um bom filme, escutar uma música, cantar, sorrir, ouvir com atenção, olhar com ternura, tocar as pessoas, abraçar, fazer um elogio sincero, curtir a natureza, admirar o por do sol, etc. 

Estas são tarefas que muito lhe ajudará a reencontrar o equilíbrio e a harmonia interior.

Manter sempre o bom humor. 

Aquele que tem no ideal de servir uma meta de vida, será sempre uma pessoa feliz. 

Na vida o que mais importa é o amor e o bem querer das pessoas, viver suas emoções; não se deixar afetar por coisas pequenas.

 Muitas vezes nos deixamos abater por problemas, que se olharmos com olhos de Espíritos Eternos em passagem pela Terra, não valorizaríamos.

Substituir sentimentos de auto-piedade por vibrações em favor dos que sofrem. 

Se olharmos com atenção e interesse ao nosso redor, veremos que existem pessoas com problemas muito piores, que o nosso a pedir socorro.

Procurar praticar atividades físicas regulares, como a caminhada, um esporte, um lazer. 

A mente parada começa a criar pensamentos negativos, que se assemelham a lixos amontoados dentro de casa. 

Com estas atividades, você estará desviando sua mente destes pensamentos deletérios.

Tornar-se empreendedor, dinâmico, criando idéias novas e construtivas em benefício do semelhante, com motivação para implementá-las, junto ao grupo ou a comunidade que pertence. 

Não fique estagnado esperando que a coisas aconteçam em seu favor. 

Aja em favor do próximo e não se surpreenda se você for o mais beneficiado.

Leituras edificantes, uma conversa com um amigo, um terapeuta ou um orientador espiritual, ajuda você a ver o problema por um outro ângulo.

A oração é um recurso indispensável no processo de recuperação. 

Através dela estabelecemos sintonia com a Espiritualidade Maior, facilitando o caminho para que nos inspirem e revigorem nossas energias.

Não nascemos para sofrer. 

A vontade de Deus é a nossa alegria e a nossa felicidade. 

Se sofrermos é por nossa causa. 

Os nossos problemas e nossas dificuldades devem ser interpretadas como instrumentos para nossa evolução.

Nunca devemos nos deprimir ou nos revoltar contra eles. 

O melhor aprendizado, é aquele que tiramos de nossa própria vida.

Vocábulo "crise" em algumas línguas podem ter dois significados:-
- A oportunidade ou perigo. 

Oportunidade de crescimento ou perigo de queda.

O que importa é sabermos que os problemas, que deparamos na vida só surgem quando já temos condições de solucioná-los. 

Como disse o Mestre Jesus:-
- " O Pai não coloca fardos pesados em ombros fracos". 

Deste modo, ficamos mais fortes ao saber que temos todas as condições interiores, para enfrentar as dificuldades que a vida nos apresenta.

Ter consciência, que acima de tudo, tem um Deus maior a zelar por nós e que nunca nos abandona. 

Confiar em Jesus e seguir seu exemplo de vida:-
- "Eu sou o Bom Pastor; tende bom ânimo; não se turbe o vosso coração; vinde a mim vós que andais afatigados, cansados e oprimidos, e Eu vos aliviarei".


SUICÍDIO

Uma das causas de suicídio é o indivíduo se achar impotente e fraco para enfrentar suas dificuldades. 

Ele se julga inferior, incapaz, vítima da sociedade, desprezando a força que tem. 

Aí os problemas passam uma dimensão muito maior, e ele se vê impossibilitado para resolvê-los.

Segundo esta linha de raciocínio, não existe pessoa "fraca" a ponto de não suportar um problema, que ele julga, de certa forma, demasiado para si. 

O que de fato ocorre é que esta criatura não teve força de mobilizar a sua vontade própria para enfrentar aquele desafio. 

Preferiu fugir, acreditando poder se libertar daquela situação. 

Só que não irá conseguir, pois a morte é apenas uma mudança de estado. 

A pessoa continua sendo a mesma, com os mesmos sentimentos e os mesmos problemas.

O mais grave é que o suicida acarreta danos ao seu perispírito. 

Quando voltar a reencarnar, além de enfrentar os velhos problemas ainda não solucionados, terá acrescido a necessidade de reajustar a sua lesãoperispiritual.

Devemos ter a vontade firme de eliminar o mal invasivo da depressão, e vários caminhos podem ser percorridos:-
- Tratamento Medicamentoso (às vezes necessário), trabalho espiritual incluindo a desobsessão, água fluidificada, passes magnéticos, trabalho beneficente, mudança de atitude mental, etc.

Após iniciado o processo de recuperação é necessário que nos tornemos vigilantes, pois é muito comum a melhora cíclica, com altos e baixos. 

 "Vigiai e orai". 

É importante aproveitar os períodos de melhora para empreender trabalhos edificantes no bem, consolidando as conquistas efetuadas.

Uma coisa fundamental que devemos ter consciência é que ninguém e nada tem a capacidade de nos fazer infelizes se não quisermos. 

O centro de gravidade do nosso equilíbrio psico-emocional tem que estar localizado dentro de nós e não nas coisas exteriores.

Não se deve condicionar a sua felicidade a algo que aconteça ou esperar que alguém o faça feliz. 

Estando com o seu centro de equilíbrio estável, se amando e se aceitando como é, você passa a viver o agora e aceitar as pessoas e as circunstâncias como elas são. 

Além disto, passamos a ver as qualidades do outro e não os seus defeitos, pois, geralmente vemos o outro como um reflexo do nosso estado íntimo.

Não aceite o convite para sofrer, que venha de outra pessoa ou de você para você mesmo. 

Proteja-se. 

Emita pensamentos bons.

Nada pode abalar aquele que alcançou o amor, a paz, a harmonia interior e, sobretudo, a Fé em Deus.




BIBLIOGRAFIA:  

  • Allan Kardec - O Evangelho Segundo o Espiritismo - 2ª edição - FEB - cap. V, item 25 
  • Divaldo Pereira Franco - O Homem Integral - 3ª edição - Livraria Espírita Alvorada 
  • Francisco Cândido Xavier - Missionários da Luz - FEB - 21ª edição 
  • Revista Espírita Allan Kardec - Ano X - n. 37 
  • Francisco Cândido Xavier - O Consolador - FEB - 13ª edição 
  • Dr. Marco Aurélio Silva - Editora Best