Ocorreu um erro neste gadget

domingo, 6 de novembro de 2016

Plantando e Esperando


 
Plantando e Esperando


Escrevi o artigo abaixo em resposta a uma querida amiga de internet que se encontra desanimada com a baixa frequência nos cursos do centro espírita que participa como elemento ativo.

Faça pelo Espiritismo o que for viável.  
 
Não se trata de tarefa áspera, dificultosa; ao contrário, promove intensa satisfação onde a realização se torna como o sol da manhã, que a todos aquece e encanta, mostrando o esplendor da vida.

Trabalhar pelo Espiritismo não é insistir demasiadamente em conselhos, em conversas insistentes, não é desejar converter o próximo com sábias palavras e nem discorrer sobre temas que muitas vezes não estão a interessar pessoas que talvez não entendam seus significados.

Trabalhar pelo Espiritismo é prestar atenção nas dores daqueles que procuram soluções ante o emaranhado de dissabores pelos quais passam. 
 
Tantos são os que adentram as portas dos centros espíritas envergados emocionalmente por dilemas familiares, por sensações negativas que não conseguem vencer.

Ouvi-los é algo que requer amor estruturado na paciência. 
 
Encaminhá-los ao passe é necessário, levar seus nomes nas reuniões de desobsessão é preciso.

Paulatinamente conseguir-se-á introduzi-los no estudo e no trabalho voluntário.

Muitos gostam de ler em seus lares, na quietude que se faz quando os demais adormecem. 
 
Que lhes sejam dados os incentivos que desejam. 
 
Que não se vejam pressionados a já de início frequentarem cursos, quando muitas vezes não possuem condições de fazê-los.

Quando esses irmãos encontram o apoio emocional que buscam, quando sentem que o amor vibra nas almas que os acolhem, aí as afinidades irão crescendo sempre mais.  
 
Entenderão que é preciso crescer no saber para que as soluções tornem-se constantes e aprendam a decidir por si mesmos. 
 
Passarão a sentir vontade de estudar em grupos, onde os orientadores lhes darão conhecimentos mais profundos.

Atentemos para as palavras de Allan  Kardec, no Livro:- Viagem Espírita em 1862:-
- Não basta ter um bom instrumento, é necessário dispor de um bom músico para dele tirar bons sons e, ainda mais, é preciso que o executante disponha de uma audiência capaz de compreendê-lo e de apreciá-lo.

Conclusão:- Paciência e Persistência para que as sementes germinem no seu devido tempo.

Maria Nilceia
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário